PUBLICIDADE
Topo

Bateria dura menos após atualização do iOS? Entenda isso de vez

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

25/09/2020 04h00

Surpreendendo muitos usuários e desenvolvedores, a Apple lançou na semana passada o iOS 14 para todos. Desde então, os widgets viraram febre no TikTok e muita gente também está se divertindo criando automações no app Atalhos, para trocar ícones dos apps e para fazer alguma gracinha quando o iPhone é colocado para carregar.

E por falar em carregar, bateria é o assunto da vez. Sempre que acontece uma grande atualização — como do iOS 13 para o 14 — é comum uma parcela considerável dos usuários perceberem que seus iPhones tiveram a duração da bateria aparentemente reduzida.

Por mais que seja fácil e tentador recorrer às teorias da conspiração nessas horas — de que a Apple faz isso de propósito, por exemplo — existem diversos fatores que causam esse comportamento após uma grande atualização como a da semana passada.

Além disso, existe um truque relativamente simples que pode amenizar o problema, não só após uma atualização, mas no longo prazo também.

A atualização é apenas o primeiro passo

É isso mesmo: a atualização do iOS 13 para o iOS 14, aquele momento no qual aparecem o logo da Apple e uma barra de progresso na tela, é só a primeira etapa de um processo que pode durar várias horas, ou até mesmo alguns dias.

Depois que seu iPhone é atualizado para uma versão nova do sistema operacional, ele precisa realizar diversas outras "atualizações" que você não vê. No mundo da programação, essas atualizações costumam ser chamadas de migração e na maioria das vezes são invisíveis para o usuário.

Durante essa fase de migração, o sistema está convertendo os dados que você já tinha no aparelho para que funcionem melhor com a versão nova do sistema e dos aplicativos. Por exemplo, a Apple pode ter atualizado o modelo de inteligência artificial que analisa as suas fotos, para oferecer resultados melhores. Como todo o processamento é feito no aparelho — por questão de privacidade — toda a sua biblioteca de fotos será analisada novamente, o que acaba consumindo bateria.

A galeria de fotos é apenas um exemplo, mas potencialmente todos os dados que estão no seu aparelho podem precisar passar por algum tipo de migração logo após uma grande atualização, o que leva tempo e consome mais bateria do que o uso normal do iPhone.

O entusiasmo tem um preço

Existe também outro motivo, este um pouco mais óbvio, que é o entusiasmo que acaba acarretando num uso mais frequente ou pesado do dispositivo, por sua vez reduzindo a duração da bateria.

Embora pareça óbvio, é fácil ignorar isso, mas se logo após atualizar para o iOS 14 você passou a ficar vários minutos — ou horas — customizando widgets, criando novos atalhos e explorando as atualizações dos apps, é natural que a bateria dure menos que antes, quando o iPhone ficava a maior parte do dia parado no seu bolso, dormindo.

O mesmo efeito pode ser observado na compra de um aparelho novo. No ano passado, quando comprei meu iPhone 11 Pro, eu estava viajando e acabei tirando muitas fotos, para experimentar as novas câmeras e recursos do aparelho. Lembro que achei a duração da bateria bem ruim nos primeiros dias e acabava tendo que carregar o celular mais de uma vez.

Sistema novo, recursos novos, mesma bateria

Este é o motivo mais óbvio de todos, mas vale ser citado. Toda versão nova do sistema vai trazer mais recursos, que precisam de energia para funcionar, energia essa que vem da bateria, que por sua vez continua sendo a mesma de quando você comprou o dispositivo.

Logo, mesmo ignorando todos os fatores acima, é esperado que a cada nova atualização que introduz novos recursos, a duração da bateria sofra um pouco. Tanto a Apple quanto os desenvolvedores procuram sempre fazer as coisas da forma mais eficiente possível, mas infelizmente existe um preço a ser pago por recursos novos, no consumo da bateria.

É aqui que a Apple fica numa situação complicada, afinal a empresa gosta de oferecer novas versões do iOS para o maior número de aparelhos possível. O iOS 13, lançado no ano passado, rodava em todos os iPhones que rodavam o iOS 12. O iOS 14 só deixou pra trás o iPhone 5s e o iPhone 6.

Alguns dias atrás, menos de uma semana após ser lançado, o iOS 14 já estava rodando em 25% dos aparelhos suportados. Isso é um contraste enorme com relação ao Android, que tem um problema notório de fragmentação e muitas vezes os aparelhos só recebem algumas poucas atualizações do sistema.

Quanto mais velho o aparelho — e sua bateria — pior será o desempenho da mesma, mas se a Apple deixasse de suportar aparelhos mais antigos muito rapidamente, também seria acusada de estar "forçando" o público a adquirir um aparelho novo, o mesmo que acontece com a situação da bateria que dura menos após uma atualização.

Tem como prevenir?

A resposta é sim!

Principalmente na questão das migrações e atualizações contínuas em plano de fundo, existe uma tática bem simples que pode amenizar muito essa duração de bateria reduzida após uma grande atualização.

Basta deixar seu iPhone carregando à noite, todos os dias, enquanto você dorme. O iOS é otimizado para esse cenário e fará o possível para que esses processos custosos sejam feitos durante esse período. Mas, se você não deixar seu iPhone carregando todas as noites, o sistema será forçado a realizar esses processos em outros momentos, enquanto o aparelho está consumindo bateria.

Eu sei que muitas pessoas têm medo de deixar o celular carregando a noite inteira, por conta de histórias de celulares explodindo. Mas a chance de isso acontecer é praticamente nula, desde que você use carregador e cabo originais e deixe o celular carregando num ambiente ventilado (nada de deixar embaixo do travesseiro!).

Além de garantir que o sistema terá tempo para fazer os processos pesados enquanto o aparelho está ligado na tomada, isso traz os benefícios da recarga inteligente, que não carrega o iPhone além dos 80% até que chegue perto do horário no qual você geralmente tira ele da carga pela manhã, garantindo uma maior vida útil da bateria no longo prazo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL