PUBLICIDADE
Topo

E se os robôs começarem a repetir até mesmo as mancadas dos humanos?

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
André Noel

Andre Noel é programador, webcartunista, autor do Vida de Programador, professor universitário (UEM e Unicesumar), youtuber e sabe pregar botões em roupas.

10/10/2020 04h00

Já faz um bom tempo que a inteligência artificial vem sendo desenvolvida. No campo da I.A. existem diferentes definições para uma máquina inteligente. Resumindo, podemos ter máquinas inteligentes que "pensam racionalmente", que "pensam como os humanos", que "agem racionalmente" ou que "agem como humanos", segundo Stuart Russell.

Muito tempo atrás, Alan Turing (que viveu até um pouco depois da Segunda Guerra) desenvolveu um teste que ficou conhecido como Teste de Turing. Ele tem por objetivo identificar se uma máquina consegue se passar por um humano.

De forma simples, o teste consiste em usar um entrevistador treinado, uma máquina (que será testada) e um humano. O entrevistador deve conversar com o humano e com a máquina. Se após cinco minutos de conversa ele não souber diferenciar a máquina do humano, a máquina é considerada inteligente (de uma forma que se passa por um humano).

Mas aí entra a questão importante: será que vale mesmo a pena imitar os humanos??

Charge André Noel (Vida de Programador) - 10/10/2020 - Instagram/@programadorreal - Instagram/@programadorreal
Imagem: Instagram/@programadorreal

Sim, o objetivo foi descontrair, mas há aplicações para todos os tipos de máquinas inteligentes. Algumas delas já podem ter lhe atendido em algum nível e você nem percebeu que era uma máquina :)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.