PUBLICIDADE

Topo

Atriz de Ellie chorou ao dublar The Last of Us 2: "feito pra mim"

Luiza Caspary faz a voz de Ellie na versão em português de The Last of Us  - Reprodução/Facebook
Luiza Caspary faz a voz de Ellie na versão em português de The Last of Us Imagem: Reprodução/Facebook

Giovanna Breve

Colaboração para o START

19/07/2020 04h00

The Last of Us Part II tem na história e nos personagens cativantes as suas principais forças, o que tornou o trabalho da atriz Luiza Caspary ainda mais importante. Ela reprisou o papel de Ellie na versão brasileira do jogo, dando voz à protagonista, assim como aconteceu no jogo original.

O START bateu um papo com Luiza sobre os desafios de gravar uma personagem tão intensa quanto Ellie. Teve muito choro, emoção e também cantoria nos bastidores das gravações. Antes, um aviso: este texto contém SPOILERS de The Last of Us Part II

ENTRE SOCOS E LÁGRIMAS

Luiza dublou Ellie no primeiro game, em que era uma adolescente que carregava uma certa inocência. Isso foi em 2013. Após sete anos, a atriz precisou esquecer um pouco de si para dar voz à uma mulher mais adulta e que alimenta o sentimento de vingança.

"Pra viver ela [Ellie], tive que abandonar a Luiza enquanto estava em estúdio, e sinto que nesses sete anos pude me preparar pra conseguir ter essa disponibilidade de ser folha em branco e deixar a personagem viver através de mim. É muito gratificante e visceral", explica a atriz.

Tão visceral, que ela precisou se controlar nas cenas de combate. Luiza queria socar e dar chutes assim como Ellie faz no game, mas tinha que concentrar toda essa explosão em sua voz apenas. Uma técnica que ela revela era fechar os olhos nessas horas.

Chorei gravando algumas cenas, tive que parar e respirar, foi muito intenso
Luiza Caspary, artista e dubladora da Ellie.

Ellie The Last of Us
Imagem: Reprodução

Um dos momentos mais impactantes de The Last of Us Part II é a morte de Joel, logo no inídio do game. Não há fã que não tenha se emocionado com a cena, e a própria Luiza confessa que também não aguentou.

"Me entreguei, foi tudo num take sem pausas, lembro que quando eu terminei fiquei em silêncio em posição fetal meio agachada no estúdio, o diretor e engenheiro de som perguntaram: 'Lu? Tá tudo bem?". Eu não consegui nem responder, aí eles abriram a porta e eu fui jogar uma água no rosto e tomar um café, pois ainda faltava gravar outras cenas ainda naquele dia", relembra.

Apesar de eu chegar sempre muito aquecida e em prontidão para gravar, quando chegou nessa cena, eu percebi que não estava preparada emocionalmente

PODE SOLTAR A VOZ

Ellie The Last of Us violão - Reprodução - Reprodução
Esse foi uma das cenas preferidas de gravar para a dubladora de Ellie
Imagem: Reprodução

Além de dubladora, Luiza também tem projetos musicais compondo singles e álbuns e teve a oportunidade de colocar esse lado cantora na segunda parte. Foi ela mesmo quem cantou a música "Take on Me", da banda A-ha, quando Ellie toca para Dina, assim que chegam em Seattle.

Luiza Caspary dubladora Ellie The Last of Us - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook
Me segurava de emoção pra manter o profissionalismo, mas por dentro eu estava vibrando (por poder cantar)

No segundo jogo, a música tem um papel bem importante para a narrativa e a relação da Ellie com as pessoas que ela ama. Essa característica mais musical de Ellie criou uma conexão mais forte para Luiza: "o que pensei na hora foi 'caramba, como pode ser tão perfeito? Esse papel foi feito para mim!' e me segurava de emoção pra manter o profissionalismo, mas por dentro eu estava vibrando (risos)"

Em seu canal no YouTube, Luiza já ensaiava isso, como quando fez um cover da música que Ellie toca no trailer que revelou a continuação, lá em 2016. Já depois do game lançado, ela fez a mesma coisa com o cover de A-ha.

A artista revela que recebeu muitos elogios de jogadores e pessoas que jogaram em português, e muitos não perceberam que era a própria Luiza cantando em inglês —acharam que se tratava da Ashley Johnson, a dubladora americana da protagonista. "O que é ótimo, sinal de que Luiza sai de cena pra Ellie brilhar".

Confira a entrevista completa:

START: Na produção do The Last of Us, os dubladores americanos tiveram que atuar nas cenas para captura de movimentos para os desenvolvedores fazerem a animação. Como foi interpretar a Ellie sem esse recurso de movimento? Sentiu algum desafio para dublar?

Luiza: Dar voz a um personagem é sempre um grande desafio, principalmente em se tratando da Ellie, uma personagem tão visceral. O termo certo é Localização de Jogos e não dublagem, isso porque nesse processo, gravamos na maior parte do tempo sem ter acesso a imagens ou cenas. Ouvimos o áudio original e reproduzimos em português na sequência, ou seja: foco total para imergir e vivenciar cada cena. Destaco aqui que só foi possível fazer esse trabalho com sucesso pois a equipe —artista, diretor e engenheiro de áudio— esteve muito junta e alinhada na entrega desse resultado.

START: Você já tinha essa noção de que o game poderia se tornar um sucesso, por ter essa carga emocional em narrativa e personagens?

Luiza: The Last Of Us foi praticamente meu primeiro trabalho com game, como em tudo que envolve um artista de voz, fazemos um teste e então vem o resultado se fomos aprovados ou não. Rolou! Eu fiquei muito empolgada e feliz porque amo aprender e me entregar a novos projetos.

Ellie The Last of Us 1 - Divulgação - Divulgação
Luiza também foi a voz de Ellie no primeiro jogo
Imagem: Divulgação

START: Você tem alguma história de bastidores ou alguma curiosidade durante a localização do jogo para compartilhar?

Luiza: Muitas. A principal é que a equipe tem uma vibe maravilhosa, leve e profissional, somos muito focados nas gravações, mas sabemos rir na pausa pro cafezinho, viramos amigos. Em cenas de ação, tenho que me conter pois o estúdio é pequeno e qualquer batida extra o microfone capta, fico com vontade de executar as ações que o áudio traz, como socos, chutes, esforços, enfim, acabo tendo que minimizar a explosão da atuação no corpo e concentrar tudo na voz, muitas vezes fecho o olho pra facilitar. Chorei gravando algumas cenas, tive que parar e respirar, muito intenso... muito grata!

START: Em TLOU 2 a Ellie está diferente tanto física quanto emocionalmente. Você também deve estar diferente do que era sete anos atrás, no primeiro jogo. Como foi tentar se reconectar com essa personagem agora?

Luiza: Com certeza, Ellie mudou e eu também. Sinto que nos tornamos mais corajosas e destemidas... diferente dela, a vingança é algo que treino muito para não existir na minha mente. Pra viver Ellie, tive que abandonar a Luiza enquanto estava em estúdio, e sinto que nesses sete anos pude me preparar pra conseguir ter essa disponibilidade de ser folha em branco e deixar a personagem viver através de mim, é muito gratificante e visceral.

Pra viver Ellie, tive que abandonar a Luiza enquanto estava em estúdio

START: Há momentos no jogo em que Ellie toca violão e canta. Como foi para você, também sendo cantora, trazer esse lado musical para a personagem?

Luiza: Nossa, eu não acreditei quando cheguei para gravar e tive que cantar, o que pensei na hora foi "caramba, como pode ser tão perfeito? Esse papel foi feito pra mim!" Eu me segurava de emoção pra manter o profissionalismo, mas por dentro eu estava vibrando (risos). O mais legal é que a galera que jogou em português, quando ouviu as músicas em inglês, pensou ser o áudio original da Ashley e nem perceberam que era eu, o que é ótimo, sinal de que novamente, Luiza sai de cena pra Ellie brilhar.

START: Houve alguma preparação especial sua para a cena da morte do Joel? Há tanta carga emocional envolvida ali, como foi na hora da gravação?

Luiza dubladora Ellie The Last of Us - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook
Luiza: Apesar de eu chegar sempre muito aquecida e em prontidão para gravar, quando chegou nessa cena, eu percebi que não estava preparada emocionalmente...

Eu pensei, "putz, não acredito nisso... é sério?" E aí me entreguei, foi tudo num take sem pausas, lembro que quando eu terminei fiquei em silêncio em posição fetal meio agachada no estúdio, os meninos André (diretor) e Felipe (engenheiro de som) perguntaram: 'Lu? Tá tudo bem?". Eu não consegui nem responder, aí eles abriram a porta e eu fui jogar uma água no rosto e tomar um café, pois ainda faltava gravar outras cenas ainda naquele dia...

START: Não sei se você já jogou, mas qual foi o momento mais marcante para você em The Last of Us 2?

Luiza: Infelizmente não tenho PlayStation nem a cópia do jogo... então matei minha curiosidade com alguns gameplays, o que acalmou a ansiedade, mas não tirou a vontade de jogar. Sobre as cenas mais marcantes, são algumas, a morte de Joel, a cena final com Abby e o barco... rola uma parada muito louca de empatia ali... e a cena onde Ellie e Dina fumam maconha e têm relações sexuais. Sinto que esse jogo quebra muitos conceitos e padrões e traz uma representatividade gay muito importante.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol