Topo

Dragon Ball


Acompanha "Dragon Ball Super"? Então você está vendo a melhor fase de Goku

Reprodução
Imagem: Reprodução

Rodrigo Lara

Do Gamehall

01/11/2017 04h00

Quase trinta anos separam a estreia do anime de "Dragon Ball", em fevereiro de 1986, e o lançamento de "Dragon Ball Super", em março de 2015. Em que pese o abismo tecnológico entre as duas séries, um dos méritos da série foi ter feito com que muita gente crescesse junto com o seu protagonista, Son Goku.

Veja também

Começando por "Dragon Ball", passando por "Dragon Ball Z" e chegando a "Super", Goku começou como um garotinho meio sem noção do mundo e passou por uma série de mudanças: adquiriu diversas qualidades, como senso de justiça e altruísmo. Também realçou defeitos, como o egoísmo que o faz colocar uma boa luta à frente do bem geral. Descobriu que é um alienígena, casou, foi pai (e morreu) por duas vezes, fez amigos, rivais e inimigos.

E, claro, ficou muito forte nessa trajetória.

O melhor Goku que você respeita

A verdade é que quem assiste a "Dragon Ball Super" tem o privilégio de ver Goku em sua melhor forma. E aqui não falamos de poder, em si, mas de personalidade.

A razão para tal é que, pela primeira vez, ele parece estar consciente de sua natureza. Ao contrário do primogênito, Gohan (que, aliás, é bastante criticado por isso), Goku deixou de lado qualquer tentativa de ser uma pessoa normal. Ele até tenta ser um agricultor no início de "Super", mas acaba dando de ombros para a insistência de Chi-Chi para que ele tenha um emprego. O seu negócio é ficar forte e lutar.

Goku até tentou no início de "Super", mas a vida de um cara normal não é para ele; tão logo surgiu a oportunidade, ele voltou aos treinos - Reprodução
Goku até tentou no início de "Super", mas a vida de um cara normal não é para ele; tão logo surgiu a oportunidade, ele voltou aos treinos
Imagem: Reprodução

Ao abraçar essa natureza mesmo sem ter que, necessariamente, salvar o dia, o personagem acabou tendo mais espaço para desenvolver sua personalidade. Isso não ocorria, por exemplo, em "Dragon Ball" e "Dragon Ball Z", quando Goku buscava se aprimorar apenas em momentos de crise. E isso às vezes não dava muito certo, como no Torneio de Cell, quando ele precisou confiar a vitória a um inexperiente Gohan e acabou morrendo.

O resultado disso é que o Goku de "Super" acaba sendo uma mistura da criança sem noção e engraçada de "Dragon Ball", capaz de inventar um torneio que colocar em risco a existência de universos apenas para testar seus poderes - como o colega Pedro Henrique Lutti Lippe salientou aqui -, com o guerreiro responsável por garantir o futuro de quem ama visto em "Dragon Ball Z". É um cara mais "desencanado" (segundo a definição do dublador de Goku no Brasil, Wendel Bezerra) e, consequentemente, mais leve, sem o peso de tentar ser um herói - o que, definitivamente, ele não é.

A transformação em Super Saiyajin Blue se tornou apenas um dos recursos usados por Goku em "Super": mais do que crescer em força, ele virou um guerreiro mais completo - Reprodução
A transformação em Super Saiyajin Blue se tornou apenas um dos recursos usados por Goku em "Super": mais do que crescer em força, ele virou um guerreiro mais completo
Imagem: Reprodução

Consciente de sua força

O Goku de "Super" parece muito mais consciente de sua força ao mesmo tempo que isso não se transforma, necessariamente, em arrogância. As grandes batalhas exclusivas do atual anime, como o enfrentamento com Black e Zamasu e, agora, o Torneio do Poder, mostram isso: ele se tornou um lutador mais cerebral, que não desperdiça poder contra adversários mais fracos, mas também não economiza na hora de enfrentar as ameaças mais complicadas.

Adversárias ou alunas? Goku optou por treinar Kale e Caulifla e faz isso se impondo sem, em nenhum momento, ser arrogante - Reprodução
Adversárias ou alunas? Goku optou por treinar Kale e Caulifla e faz isso se impondo sem, em nenhum momento, ser arrogante
Imagem: Reprodução

Isso acaba brindando a audiência do anime com sequências que dificilmente vimos em "Dragon Ball" ou "Dragon Ball Z". Mesmo sendo um fã, admito que é possível contar nos dedos combates realmente realmente inteligentes dos dois animes - uma exceção seria a luta contra Cell, quando Goku combina o teletransporte e o kamehameha para criar uma técnica nova. 

Ao invés de depender apenas do seu Kamehameha e de uma Genki Dama para os momentos de desespero, Goku tem utilizado transformações e técnicas variadas de acordo com a situação. O resultado disso é que seja com uma breve aparição do aguardado Super Saiyajin 3 na luta contra Kale e Caulifla, ao usar o Zanzoken - uma das primeiras técnicas que aprendeu ainda em "Dragon Ball" - ou, ainda, ao alternar entre formas de Super Saiyajin distintas durante uma luta, Goku na imagem de "Super" virou sinônimo de serviço para os fãs.

Resta agora saber como o personagem será desenvolvido no decorrer do anime, ainda mais considerando que "Super" tem o bom hábito de destacar outros personagens além do saiyajin. Entre dúvidas sobre como ele utilizará seu novo poder, o Instinto Superior, e, o mais importante, se ele e o time do Universo 7 sairão vitoriosos do Torneio do Poder - algo que ficou em xeque após ele ter um raro momento de humilhação incontestável na luta contra Jiren -, resta a certeza de que tanto pela força quanto pela personalidade, hoje o personagem está à altura do enorme carinho que ele tem dos fãs.

Dragon Ball