PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Há 40 anos morria Cartola; veja suas músicas mais gravadas

Cartola, ou Angenor de Oliveira, morreu em 30 de outubro de 1980 - Reprodução/Wikipedia
Cartola, ou Angenor de Oliveira, morreu em 30 de outubro de 1980 Imagem: Reprodução/Wikipedia
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

30/11/2020 14h22

Há exatamente 40 anos o sambista, cantor, compositor e poeta Angenor de Oliveira morria aos 72 anos, vítima de um câncer na tireoide descoberto cerca de dois anos antes.

Assim o Brasil se despedia de Angenor —ou melhor, Cartola—, considerado por muitos estudiosos como o maior sambista brasileiro de todos os tempos.

Carioca do morro Catete, criado no morro da Mangueira, Cartola desde cedo se interessou por música, paixão também de seu pai, que o ensinou a tocar violão e cavaquinho.

Depois disso é só história. São 149 composições e 109 canções gravadas nos bancos de registro do Ecad, o escritório de arrecadação e distribuição de direitos autorais no Brasil.

O órgão listou as músicas mais tocadas de Cartola, bem como as mais gravadas por outros artistas. Veja as duas listas abaixo:

Músicas mais tocadas de Cartola (ou coautoria) desde 2015

1 - As Rosas Não Falam (Cartola)
2 - O Mundo É Um Moinho (Cartola)
3 - O Sol Nascerá (Elton Medeiros/ Cartola)
4 - Alvorada (Hermínio de Carvalho/ Cartola/ Carlos Cachaça)
5 - Tive SIm (Cartola)
6 - Corre e Olhe o Céu Dalmo (Castello/ Cartola)
7 - Sala de Recepção (Cartola)
8 - Acontece (Cartola)
9 - Ao Amanhecer (Cartola)
10 - Disfarça e Chora (Dalmo Castello/ Cartola)

Músicas de Cartola mais gravadas por outros intérpretes

1 - As Rosas Não Falam
2 - O Mundo É Um Moinho
3 - Acontece
4 - O Sol Nascerá
5 - Alvorada
6 - Cordas de Aço
7 - Tive Sim
8 - Corre E Olhe o Céu
9 - Peito Vazio
10 - Disfarça e Chora

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL