PUBLICIDADE
Topo

Assista: Globoplay e os bilhões de reais da Globo na TV paga

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

13/10/2020 12h42

Muita gente se espantou com o anúncio do Grupo Globo, dias atrás: ele lançou seus principais canais presentes na TV paga (GloboNews, SporTV, Multishow, GNT etc) agora também no serviço Globoplay.

A assinatura do "combo" completo do serviço custa cerca de R$ 50. O espanto se deu porque muitos concluíram (apressada e erradamente) que isso significaria o começo da saída da Globo da TV por assinatura.

Ledo e redondo engano, porque a Globo fatura bilhões de reais anualmente com a TV paga e não seria louca de abrir mão dessa imensa receita em curto, médio e provavelmente até longo prazos.

Esse é o tema da semana desta coluna no canal do UOL no YouTube.

Só de repasses de remuneração de canais as operadoras dão cerca de R$ 3,5 bilhões anuais ao Grupo Globo. Ao menos outro R$ 1,5 bilhão viria da venda de publicidade.

Então, sem chance de a Globo sair desse setor para investir apenas em streaming com o Globoplay.

Quem sabe no futuro, se e quando ela tiver canais suficientes para montar sua própria operadora —o que seria uma espécie de "de volta para o futuro", já que a Globo já foi dona da Net.

Tudo ainda depende de mudanças (prováveis) na legislação.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL