PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

SBT "quarentão" aposta em novo perfil e novo telespectador

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

06/10/2020 12h06

A um ano de se tornar um "quarentão", o SBT decidiu mudar seu perfil e partir em busca de um novo telespectador.

A partir de agora a emissora vai diminuir o conteúdo destinado tanto aos telespectadores mirins —fãs de "Chaves", dos desenhos, das novelinhas infantis e de Maisa—, como também os mais idosos (fãs de Raul Gil e até mesmo de Silvio Santos, que não tem data para voltar à TV).

No lugar disso o SBT pretende investir em esportes e entretenimento.

Na verdade ele está partindo em busca de um "novo" telespectador não habituado ao canal.

Terá uma difícil batalha pela frente, a saber: disputar a atenção do público com outros canais abertos, com a internet, com as redes sociais, com o streaming e também a TV paga.

Sem presença na TV por assinatura e sem investir quase nada em novas mídias, trata-se de uma atitude sensata do SBT: investir naquilo que ainda tem de pé, que é o canal aberto.

Nos esportes a emissora já se comprometeu por escrito com a Libertadores até 2022. E está negociando outros eventos.

Mas, que tipo de entretenimento Silvio Santos tem em mente? Ninguém sabe até o momento.

É sobre esse assunto que esta coluna trata esta semana em seu espaço semanal no canal do UOL no YouTube.

O SBT está quebrando seus próprios paradigmas, entre outros motivos, para fazer um enorme corte de custos (assim como outras emissoras) e para se renovar como veículo.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL