PUBLICIDADE
Topo

Marisa Monte homenageia Bruno Pereira e Dom Phillips em show em Londres

Marisa Monte terminou show com salva de palmas dedicada a Bruno Pereira e Dom Phillips - Reprodução / Instagram
Marisa Monte terminou show com salva de palmas dedicada a Bruno Pereira e Dom Phillips Imagem: Reprodução / Instagram

De Splash, em São Paulo

24/06/2022 12h45

Após um show realizado em Londres, na Inglaterra, Marisa Monte homenageou o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips, que foram mortos a tiros no dia 5 deste mês na Amazônia, quando faziam o trajeto de barco da comunidade ribeirinha São Rafael para a cidade de Atalaia do Norte (AM), no Vale do Javari.

A cantora e os músicos agradeceram ao público e puxaram uma salva de palmas enquanto era exibida uma imagem de Bruno e Dom. Todos se viraram para a projeção no palco e continuaram com os aplausos.

"Obrigada Dom e Bruno. Vocês são nossos heróis. Nossa solidariedade aos amigos e familiares", escreveu Marisa em publicação no Instagram.

Quem eram Bruno e Dom?

Bruno, servidor licenciado da Funai (Fundação Nacional do Índio), era conhecido como um defensor dos povos indígenas e atuante na fiscalização de invasores, como garimpeiros, pescadores e madeireiros. Em entrevista ao UOL, o líder indígena Manoel Chorimpa afirmou que o indigenista estava preocupado com as ameaças de morte que vinha sofrendo.

Já Dom era correspondente do jornal The Guardian. Britânico, ele veio para o Brasil em 2007 e viajava frequentemente para a Amazônia para relatar a crise ambiental e suas consequências para as comunidades indígenas e suas terras.

O jornalista conheceu Bruno em 2018, durante uma reportagem para o Guardian. A dupla fazia parte de uma expedição de 17 dias pela Terra Indígena Vale do Javari, uma das maiores concentrações de indígenas isolados do mundo. O interesse em comum aproximou os dois.

Hoje, o superintendente da PF (Polícia Federal) no Amazonas, Eduardo Fontes, não descartou a possibilidade de haver um mandante no crime que matou o indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips.