PUBLICIDADE
Topo

Elenco revela surpresas de 'Nosso Lar 2', sequência do filme hit de 2010

Cena do filme "Nosso Lar 2: Os Mensageiros" - Divulgação/ Ique Esteves
Cena do filme "Nosso Lar 2: Os Mensageiros" Imagem: Divulgação/ Ique Esteves

da Ingresso.com

25/05/2022 04h00

Rodeados por uma horda de espíritos presos ao Umbral, os personagens de Nando Brandão, Fábio Lago, Edson Celulari e Aline Prado observam as almas de pessoas que falharam em aspectos evolutivos durante sua última passagem pela Terra em mais uma gravação de "Nosso Lar 2 - Os Mensageiros".

A Ingresso.com foi convidada para acompanhar um dia das filmagens da sequência do longa lançado em 2010, que arrecadou R$ 36 milhões nas bilheterias. Em nossa visita ao set, além do bate-papo com o diretor Wagner de Assis, que revelou sua afinidade com a doutrina espírita e planos para possíveis novos filmes, parte do elenco da produção também comentou sobre a aguardada continuação.

Segundo Aline Prado, que dá vida a Isaura, seu papel representa uma mulher guerreira, que enfrenta as adversidades da vida de forma admirável:

"Ela luta de uma maneira amorosa", explica a atriz. "Depois de várias encarnações insistindo no mesmo erro, com um mesmo padrão, ela agora está no Nosso Lar, se desenvolvendo e aprendendo a lutar através do amor".

Na trama, Aline é o par romântico de Nando Brandão, que interpreta Antônio. Os dois reforçam que o relacionamento da dupla é a força motriz para que seus personagens evoluam ao longo da narrativa:

"O Antônio é um espírito mensageiro recente, podemos dizer assim. Ele foi resgatado pela Isaura, mas é um espírito que traz muitos sentimentos mundanos. E o que fez ele ir para o Nosso Lar foi o amor que ele sente pela Isaura, que é o único sentimento bom que ele tem", revela Nando.

"Em 'Nosso Lar 2', na história da Isaura e do Antônio, é a primeira vez que você está falando de amor no mundo espiritual. Eles estão participando da missão e o objetivo principal deles é conseguir méritos para se casarem. Então, a gente vai contar essa história", complementa Aline. "Os amores, eles não terminam com o fim da vida, porque a vida não termina", conclui a atriz.

Nando explica que a história do filme envolve alegrias e infortúnios. Para ele, uma das cenas mais marcantes da sequência é quando um dos personagens diz ao outro que, apesar dos erros, o julgamento não é uma opção:

"Você é um exemplo de fracasso, mas não é por causa disso que a gente deixa de te amar", comenta o ator, emocionado, citando uma das passagens do longa.

Fábio Lago, que viveu o inesquecível Baiano em "Tropa de Elite" (2007), é o responsável por dar vida a Vicente, outro mensageiro envolvido na principal missão do filme. O ator define o personagem como um "aprendiz", e diz que um dos aspectos mais interessantes de Vicente é como ele o faz entregar o melhor de si ao papel:

"Eu busco ele em mim. É como se eu tivesse que buscar dentro de mim as minhas maiores qualidades e virtudes e, principalmente, meu lado infantil, meu lado de criança", explica Fábio.

"A chegada dele em Nosso Lar é um renascimento. Então, trazer essa pureza, sem ser muito infantil, é que é o desafio. É um personagem que traz o olhar de quem assiste, ou seja, do público. É o curioso, é o que não se acha capaz de ser um mensageiro. Então, ele é errático: pergunta, faz questionamentos, dá bola fora o tempo todo. E isso dá uma leveza para o filme, porque o tema traz esse lado da espiritualidade, traz um tom mais formal, e o Vicente quebra esse tom", conclui o ator.

Para ele, um dos maiores desafios é dosar sua interpretação e não se render à comédia escrachada: "Eu não quero, não trago isso para o filme. As situações não são engraçadas, e sim a forma que ele vê as situações é que é engraçada", justifica.

Líder da missão

Já Edson Celulari interpreta um dos papéis centrais em "Nosso Lar 2". O ator vive o mentor Aniceto, líder da missão que pretende criar uma ligação entre o mundo espiritual e o plano dos encarnados.

Assim como o restante do elenco, Edson demonstra afinidade com a doutrina espírita e vontade de aprender mais sobre o tema. Ele cita o auxílio que encontra no diretor Wagner de Assis e nos consultores do longa: quando tem alguma dúvida sobre como conduzir uma cena que aborde algum aspecto específico do espiritismo, recorre a eles:

"Hoje, filmamos a abertura do filme, que mostra alguns procedimentos de cirurgias, limpezas que eles fazem. Esse processo é muito interessante. Tem coisas que eu já fiz uma listinha de perguntas pra fazer porque eu quero saber exatamente como é isso, como acontece", explica o ator, empolgado com o projeto.

Embora a história esteja repleta de núcleos distintos, e que a trajetória de cada personagem seja capaz de tocar o espectador de formas diferentes, Edson Celulari, assim como Fábio Lago, destaca uma mensagem marcante da narrativa e a importância de transmiti-la no momento atual:

"Trazer uma só mensagem é reduzir uma história que tem muitas informações, mas, uma das coisas que me tocou muito é a possibilidade, a capacidade de evolução. Essa ideia de que a morte não é o fim porque existe uma evolução. É você se dispor a melhorar, você se dispor a estar diferente a cada dia", enfatiza Edson.

"E num momento em que, pra todos nós que vivemos uma pandemia, pensando em como isso mexeu com o emocional e com o profissional de muita gente. Entender agora que existe igualdade nesse sentido e que o que vale é a força e a capacidade de cada um em evoluir, em ser melhor. Então, eu acho que esse é o grande barato, para mim, de fazer esse filme", comenta.

Edson explica que Aniceto é um anjo da guarda, um mentor experiente que tem a missão de formar novos mensageiros espirituais. Quando questionado sobre o que ele e seu personagem têm em comum, o ator declara:

"Se eu tivesse um pouco desse amor que ele tem, a capacidade de amar incondicionalmente, em qualquer circunstância, a tolerância e a escuta que ele tem... eu acho que eu tenho que evoluir muito para chegar a Aniceto. Mas, se eu tenho algo, eu já tenho pelo menos essa consciência da evolução", analisa.

"Fazemos parte de um todo, e precisamos deixar de lado a questão individual, a questão egoísta. Isso é um pouco uma questão social, uma questão política: Você só consegue crescer quando o mesmo acontece ao redor", conclui Edson.

A sinopse do longa explica que, nesta nova história, André Luiz (Renato Prieto) integra um grupo de espíritos mensageiros que parte em direção à Terra para acompanhar os desdobramentos de uma missão que corre o risco de fracassar: a criação de uma obra espiritual que ligue os dois mundos.

No processo, também enfrentam seus próprios dramas. O médico, que teve a história contada em "Nosso Lar" (2010), embarca na jornada liderada por Aniceto (Edson Celulari). Juntos, eles se dedicam a cuidar de três protegidos cujas histórias estão interligadas: Otávio (Felipe de Carolis), jovem médium que não cumpriu com o planejado em sua missão; Isidoro (Mouhamed Harfouch), líder de uma casa espírita; e Fernando (Rafael Sieg), empresário responsável pelo financiamento do projeto.

As filmagens de "Nosso Lar 2 - Os Mensageiros" seguem a todo vapor, e a expectativa é de que as gravações sejam concluídas nas próximas semanas. A previsão de estreia do longa é para 2023, sem data específica definida até o momento.

Edson Celulari grava sequência de "Nosso Lar", que chega aos cinemas em 2023 - Divulgação/ Ique Esteves - Divulgação/ Ique Esteves
Edson Celulari grava sequência de "Nosso Lar", que chega aos cinemas em 2023
Imagem: Divulgação/ Ique Esteves