PUBLICIDADE
Topo

Nas redes sociais, Elizangela já comparou vacinação obrigatória a estupro

Em vídeo, Elizangela ironiza a realização do Carnaval e a exigência do passaporte de vacinação - Reprodução/Instagram
Em vídeo, Elizangela ironiza a realização do Carnaval e a exigência do passaporte de vacinação Imagem: Reprodução/Instagram

De Splash, em São Paulo

21/01/2022 12h50

A atriz Elizangela, internada por sequelas da covid-19, já fez postagens nas redes sociais comparando a vacinação obrigatória a estupro, zombando das medidas de restrição no Rio de Janeiro e criticando o governador de São Paulo, João Doria, pela decisão de manter os desfiles de Carnaval neste ano.

Desde a internação da atriz, surgiram boatos de que ela não havia se vacinado contra a covid-19 — os comentários das publicações em questão estão repletos de críticas e ataques à atriz. "As pessoas perderam a noção de humanidade", comenta o empresário da atriz, que diz não saber se ela realmente recusou as vacinas.

Publicação em que Elizangela compara a vacinação obrigatória a estupro - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Publicação em que Elizangela compara a vacinação obrigatória a estupro
Imagem: Reprodução/Instagram

Em dezembro de 2020, antes do início da vacinação no Brasil, Elizangela postou um desenho de um braço sendo vacinado com os dizeres: "Penetração forçada sem consentimento... É estupro". Na legenda, completou: "Meu corpo, minhas regras".

Publicação em que Elizangela zomba das medidas restritivas no Rio de Janeiro - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Publicação em que Elizangela zomba das medidas restritivas no Rio de Janeiro
Imagem: Reprodução/Instagram

Em março de 2021, quando o Rio de Janeiro anunciou novas medidas restritivas para conter a disseminação da doença, Elizangela postou uma imagem com a seguinte frase: "A partir de amanhã, tudo será fechado no Rio de Janeiro. Somente os buracos das ruas continuarão abertos".

Na legenda, ela se dirigiu ao prefeito Eduardo Paes (PSD): "Dudu Dudu.. Não foi isso que você disse na época da eleição...Aiaiai menino levado!"

Em um vídeo postado em novembro do ano passado, a atriz aparece de máscara carnavalesca cantando uma paródia de "Extravasa", de Claudia Leitte, para criticar o governador João Doria (PSDB) e a decisão de manter os desfiles de Carnaval durante a pandemia.

"Liberou geral, pandemia é farsa, Doria deixou na praça. Bora vir dançar, não mais 'fica em casa', hipocrisia embala", ironiza a atriz, usando uma máscara carnavalesca.

No próximo trecho, ela questiona a eficiência de se exigir passaporte de vacina, já que a imunização não impede que a pessoa contraia o vírus — apesar de reduzir drasticamente o risco de morte pela doença e suas complicações: "Deixe ver o passaporte se se vacinou. Pode crer, não pega mais se você já tomou. Pense bem, desempregado você já ficou".

"Extravasa, libera e deixa o vírus rolar. Só na Europa não existe mais nada. Extravasa, e deixa a pandemia aumentar. Extravasa, e venha para a avenida dançar. Só na escola e no trabalho que passa, extravasa e deixa a empatia para lá", canta a atriz.

"Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência", diz Elizangela no final do vídeo. E, após uma gargalhada, completa: "Hipócritas".