PUBLICIDADE
Topo

Jéssica Alves diz ter sido alvo de transfobia em casa noturna de São Paulo

Jéssica Alves relatou o caso de transfobia nos Stories do Instagram - Reprodução / Instagram
Jéssica Alves relatou o caso de transfobia nos Stories do Instagram Imagem: Reprodução / Instagram

De Splash, em São Paulo

14/01/2022 09h43

A modelo e apresentadora Jéssica Alves relatou ter sido alvo de transfobia em uma casa noturna de São Paulo na noite de ontem.

Nos Stories do Instagram, ela disse que tudo aconteceu na Tetto Rooftop Lounge, no bairro de Pinheiros, zona oeste da capital.

Gente, essa noite estou me sentindo completamente discriminada pela Tetto (Tetto Lounge), aqui em São Paulo. É uma casa completamente transfóbica, de pessoas completamente antiprofissionais. Fui realmente humilhada aqui na entrada da casa. Eu não volto aqui e não recomendo para ninguém essa casa.

1 - Reprodução / Instagram - Reprodução / Instagram
Stories do Instagram de Jéssica Alves
Imagem: Reprodução / Instagram

Jéssica, que é uma mulher transsexual, reforçou que seu problema aconteceu com a hostess, pessoa responsável por recepcionar os clientes, da casa.

"Dou um mês para essa casa fechar. Por isso que o Brasil não vai pra frente. Depois a casa fecha e fica todo mundo desempregado por incompetência de pessoas mal treinadas. Os proprietários pe que tem a perder. A hostess é uma pessoa antiprofissional. Eu não empregaria uma pessoa dessa para trabalhar para mim ou em nenhuma boate. Eu não recomendo esse lugar, principalmente se você for uma mulher transgênera", finalizou.

Splash procurou a Tetto Rooftop Lounge, que lamentou o ocorrido e justificou que às quintas-feiras "a casa funciona apenas para convidados mediante reservas e nome na lista, respeitando a capacidade do espaço e conforto dos clientes."

Por este motivo, não pudemos autorizar a entrada dela e de outras pessoas que desejavam ingressar no local. Estamos de portas abertas para recebê-la em outra oportunidade. Não toleramos ou iremos tolerar violência e práticas preconceituosas por parte de nossos frequentadores e funcionários, que são treinados para lidar com o público de maneira ética. Prezando pelo respeito aos clientes, não promovendo nenhum tipo de restrição social, de crença, gênero, cor de pele ou de raça. Nossa missão é gerar experiências de entretenimento de qualidade a todos os cidadãos que desejarem frequentar o Tetto, indistintamente. diz o comunicado enviado à reportagem