PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Arantes diz que ficou paralítico na Europa: 'Oito meses de cama'

Guilherme Arantes | Foto: Marcia Gonzalez - Reprodução / Internet
Guilherme Arantes | Foto: Marcia Gonzalez Imagem: Reprodução / Internet

Colaboração para Splash, no Rio de Janeiro

12/01/2022 20h03

Guilherme Arantes, de 68 anos, contou hoje durante uma entrevista sobre a dificuldade que enfrentou na Europa após ter ficado paralítico. O cantor passou oito meses de cama por fortes dores na coluna.

Em entrevista no programa "Como Vai Você", da Cidinha Livre, da Super Rádio Tupi, o cantor disse que pretendia viajar, mas logo depois chegou a pandemia do coronavírus (covid-19) e, em seguida, a paralisia.

"Eu queria viajar mais, mas chegou a pandemia, aí simultaneamente tive um problema na coluna e fiquei oito meses de cama, paralítico. Fiquei com uma série de cervico-braquialgia, com umas dores excruciantes, horrível", contou ele.

Durante a entrevista, ele aproveitou para elogiar o sistema de saúde no Brasil. "Fiquei em casa mesmo por conta da pandemia, mas tive médicos muito bons lá. Mas a nossa medicina no Brasil é fantástica. A parte de exames, de prevenção no Brasil é o mais avançado do mundo, até as pessoas humildes fazem pelo SUS ressonância magnética, ultrassom. Lá eu tive muita dificuldade, mas passei", afirmou.

Ele ainda disse que não conseguia nem sentar na mesa para tomar uma sopa porque doía muito.

Recentemente, o cantor voltou da Europa e está morando na Bahia, na cidade Lauro de Freitas, após ter vivido durante dois anos e meio na Espanha.

"Estou na minha casa pertinho de Salvador, em uma área de praia muito bonita. Estou chegando da Europa, em que fiquei dois anos e meio trancado na cidade onde tenho casa, em Ávila, em uma cidade bem do interior e antiga", disse o cantor.

Ele contou que foi morar na Europa para estudar música renascentista e barroca, pois ele adora e precisava dar uma pausa na carreira artística após ter lançado um álbum em 2017.

"O compositor tem uns tempos de se retirar para ir aquecendo os motores da composição, das letras e dos poemas, e ler bastante, ouvir bastante música. Eu fui com esse projeto", afirmou.

Para isso, Guilherme disse que comprou um imóvel na região para ter um canto seu na Espanha. "Eu comprei um apartamentozinho pequeno, que é uma base para eu estar na Europa e para passear. Fomos até a Áustria, Dinamarca e Portugal", disse ele.

A partir de março, o artista irá percorrer o Brasil com a turnê "A desordem dos templários", que começa pelo Rio de Janeiro e depois segue para São Paulo.