PUBLICIDADE
Topo

Charles questionou tom de pele dos filhos de Harry e Meghan, diz livro

O príncipe Charles foi o membro da família real que questionou a cor de pele de filhos de Harry e Meghan, diz livro - BBC
O príncipe Charles foi o membro da família real que questionou a cor de pele de filhos de Harry e Meghan, diz livro Imagem: BBC

Colaboração para Splash, em Pernambuco

28/11/2021 10h21Atualizada em 28/11/2021 10h38

De acordo com um novo livro sobre a família real, lançado na última semana, príncipe Charles foi quem fez comentários racistas quanto ao tom de pele dos filhos de Harry e Meghan Markle.

Segundo o livro "Brothers and Wives: Inside The Private Lives of William, Kate, Harry and Meghan" (em tradução livre: Irmãos e esposas: por dentro das vidas privadas de William, Kate, Harry e Meghan), de Christopher Anderson, o comentário aconteceu em novembro de 2017, na manhã do anúncio do noivado de Meghan e Harry.

De acordo com o tablóide Page Six, o livro relata que o diálogo aconteceu entre Charles e sua esposa, Camilla. "Eu me pergunto como seriam as crianças?", teria dito Charles. Diante da resposta de Camilla de que elas seriam "lindas", Charles insistiu: "Quer dizer, como você acha que a pele dos filhos deles vai ser?".

Um porta-voz do príncipe Charles negou o fato. "Isso é ficção e não vale a pena comentar".

Entenda o caso

Meghan Markle e príncipe Harry revelaram, durante a bombástica entrevista à Oprah Winfrey em março, que um membro da realeza britânica havia feito comentários racistas sobre o tom de pele do primeiro filho do casal, Archie, de 2 anos, antes do nascimento da criança. No entanto, o casal não disse quem foi o responsável pela declaração, deixando o mistério no ar.

Segundo o advogado Mark Stephens, consultado pelo jornal britânico "Daily Mail" para comentar a situação, os dois fizeram certo ao não revelar a identidade da pessoa que fez os comentários racistas, pois seriam processados.

A revelação do caso de racismo foi feito por Meghan quando comentava sobre os pensamentos suicidas que teve durante o tempo em que ela e o marido estiveram na realeza britânica — ambos abandonaram os deveres reais no começo do ano. Pouco depois de a entrevista ser exibida, os dois afirmaram categoricamente que os comentários racistas não partiram da rainha Elizabeth 2° nem de Philip, marido dela.

Na época, um comunicado divulgado pela realeza minimizou as declarações de Meghan, dizendo que "as lembranças podem variar de pessoa para pessoa" — colocando em dúvida a palavra da esposa de Harry. A rainha Elizabeth, no entanto, declarou que "questões de raça são preocupantes".