PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

André Marques no comando do No Limite foi uma escolha muito errada

No Limite: André Marques conversa com Mahmoud, o primeiro eliminado - Reprodução/Globoplay
No Limite: André Marques conversa com Mahmoud, o primeiro eliminado Imagem: Reprodução/Globoplay
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

19/05/2021 10h26Atualizada em 19/05/2021 18h18

Exibidos os primeiros dois episódios de "No Limite", não restam mais dúvidas de que a escolha do apresentador foi um grande erro. André Marques não dá qualquer sinal de que esteja interessado no trabalho e age como se estivesse cumprindo uma obrigação.

Marques poderia ter escolhido vários caminhos como apresentador do reality de sobrevivência da Globo. Poderia apelar para o humor, ser um professor, um animador, um tirano, um paizão. Poderia misturar várias dessas características. Mas vejo apenas um cara desanimado à frente das câmeras, lendo instruções para os participantes.

Simpático no comando do "The Voice", Marques foi escolhido para o "No Limite" por comodidade. O reality show já tinha anunciantes interessados, nenhuma atração concorrente ameaçaria a sua audiência e seria uma opção mais barata do que a contratação de alguém de fora da Globo.

Não há dúvidas de que Marcos Mion seria um apresentador muito mais talhado para esta missão do que André Marques. Mas a Globo, com pressa em iniciar a produção do "No Limite", entendeu que seria inviável trazer Mion, que tinha vínculos formais com a Record até o final de abril.

A esta altura, só resta lamentar que o acerto com o apresentador não tenha ocorrido. Também cabe dizer que, mesmo limitando a escolha aos talentos da própria Globo, a opção por Marques deixou a desejar. Marcio Garcia, por exemplo, teria sido uma opção mais adequada. Outras duas sugestões, feitas pela leitora Iris Libânio, com as quais concordo: Gloria Maria e Fernanda Gentil. "Mulheres podem apresentar reality também, tá?". Claro!

À direção do "No Limite", cabe a responsabilidade de animar André Marques, apontar caminhos para o apresentador e tirá-lo desta postura sonolenta que tem exibido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL