PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Patrocinador se defende após críticas por ação com famosos em apoio a Karol

A cantora Preta Gil participou da ação da Amstel em apoio a Karol Conká - Reprodução/Instagram
A cantora Preta Gil participou da ação da Amstel em apoio a Karol Conká Imagem: Reprodução/Instagram
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

24/02/2021 14h42

Uma ação comercial patrocinada pela Amstel em apoio a Karol Conká gerou revolta no Twitter na noite de terça-feira (23). Integrantes do "time da diversidade" contratados pela empresa publicaram mensagens pedindo "empatia" e criticando o "cancelamento" da cantora, que foi eliminada do "BBB 21" com recorde de rejeição.

As postagens, identificadas com a hashtag "publi", foram feitas pela cantora Preta Gil e pela humorista Pequena Lô. A vencedora do "BBB 20", Thelma Assis, foi marcada em todas as publicações.

Preta escreveu: "Não concordei com as atitudes da Karol no #BBB21. Mas também sempre questionei: a propagação de ódio e cancelamento são o caminho? Espero que ela aprenda com os erros e seja muito feliz".

Pequena Lô respondeu: "É sobre isso!! Cancelar e gerar ódio é opressão, mesmo você não concordando com ela. Não precisamos ser iguais. Espero que todos nós possamos aprender a ter mais empatia, tolerância e que todos possam aprender com os erros aqui fora".

As mensagens foram publicadas antes do anúncio da eliminação de Karol. A principal crítica foi ao fato de a empresa, que é patrocinadora do "BBB 21", ter pago para influenciadores defenderam a cantora.

Em nota enviada à coluna, a Amstel se defendeu das críticas e disse: "Vale ressaltar que o indicativo #publi nas postagens é feito apenas para sinalizar que há uma parceria entre o influenciador e a marca, sendo uma regra imposta pelo Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), o que não significa dizer que o conteúdo gerado pelo influenciador não reflete seu posicionamento sobre o conteúdo gerado, ao contrário, reflete transparência para com o público de que estamos juntos nesse posicionamento."

A empresa disse ainda: "Acreditamos que ambientes diversos levam a discussões importantes para a nossa sociedade. Por isso, nosso time de influenciadores trouxe para a conversa um ponto importante sobre o cancelamento, trazendo para a reflexão que a empatia e o respeito devem sempre prevalecer."

Marca mudou ação no "BBB 21"

A Amstel foi a primeira patrocinadora a se manifestar publicamente sobre as situações de violência psicológica, preconceito, intolerância e desrespeito mostradas pelo reality show da Globo nas duas primeira semanas.

Ao UOL, Vanessa Brandão, diretora de marketing mainstream da Heineken no Brasil, registrou o seu repúdio aos acontecimentos e informou que, em consequência do que viu na televisão e nas redes sociais, a empresa decidiu rever a sua estratégia de marketing para o programa.

"Não compactuamos com comportamentos que levam à exclusão e desrespeito. Ainda que, como patrocinadores, não tenhamos interferência no programa, entendemos que com as nossas ações lá dentro podemos reforçar o caráter de entretenimento do reality show e levantar temáticas importantes para a nossa sociedade, alinhadas com o que acreditamos. O objetivo é gerar reflexões positivas e relações saudáveis dentro e fora da casa", disse a executiva.

Antes da festa que a marca patrocinou no dia 13, os participantes tiveram que cumprir uma missão para "destravar" o evento. Na ação, foram discutidas as questões que a cervejaria julga importantes sobre diversidade, inclusão e respeito.