PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Datena não contesta argumento falso de Bolsonaro sobre a crise em Manaus

José Luiz Datena no Brasil Urgente - Reprodução / Internet
José Luiz Datena no Brasil Urgente Imagem: Reprodução / Internet
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

15/01/2021 18h31

Exige-se, como regra geral, que o jornalista seja cordial, educado, diante do seu entrevistado. Mas a boa prática também obriga o profissional da notícia a ponderar as respostas que ouve. Mesmo diante do presidente da República.

Nesta sexta-feira (15), José Luiz Datena mais uma vez entrevistou Jair Bolsonaro. E, como já ocorreu em outras ocasiões, além da postura cordial, o apresentador do "Brasil Urgente" evitou fazer contrapontos à fala do presidente. Essa atitude, que favorece o monólogo, teve como consequência a reprodução de imprecisões e inverdades.

Pressionado pelo agravamento da pandemia de coronavírus e pela situação de emergência em Manaus, Bolsonaro repetiu várias vezes que "o STF foi bem claro, em abril do ano passado, ao dizer que presidente está proibido de executar qualquer ação no combate ao coronavírus".

A Agência Lupa, dedicada a checagem de fatos, resumiu em junho de 2020: "É falso que o STF afastou Bolsonaro do controle de ações estratégicas contra pandemia de Covid-19 (...). O Supremo não determinou que todas as ações fossem tomadas pelos governadores e prefeitos, e sim que o governo federal não poderia interferir em ações locais, como o estabelecimento de quarentenas e o fechamento do comércio (...) O entendimento dos ministros era que a União também poderia traçar estratégias de abrangência nacional".

Datena em momento algum questionou o argumento usado diversas vezes pelo presidente para isentar o governo de responsabilidade pela situação. Ou ignorava o fato ou não quis criar um atrito com Bolsonaro. Perdeu o espectador que ficou sem este contraponto importante.

Entrevistador preferido

Levantamento do site Poder 360 mostra que Bolsonaro deu 135 entrevistas exclusivas entre 1º de janeiro de 2019 e 21 de dezembro de 2020. Na TV, Datena foi quem mais o entrevistou: 11 vezes. Em segundo lugar, aparece Leandro Magalhães, da CNN (dez vezes).

A rádio Jovem Pan é o veículo preferido do presidente. Bolsonaro deu 27 entrevistas exclusivas ao programa "Os Pingos nos Is", 25 delas no ano passado.