PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Silvio, o SBT precisa se modernizar e deixar de ser "família"

Silvio Santos completa 90 anos neste sábado (12) - João Batista da Silva / SBT
Silvio Santos completa 90 anos neste sábado (12) Imagem: João Batista da Silva / SBT
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

12/12/2020 06h01

Silvio,

Em primeiro lugar, parabéns! Noventa anos é especial. Para poucos. Infelizmente, estamos no meio de uma pandemia que nos mantêm afastados das pessoas mais queridas, assustados, mas espero que você consiga comemorar com alegria esta data.

Por coincidência, foi bem neste 2020 difícil que a televisão brasileira completou 70 anos e se tornou uma companhia de todas as horas enquanto cumprimos o distanciamento social. Isso só aumentou a tristeza de não poder ter contado com sua companhia nas noites de domingo, algo que nunca havia acontecido. Imagino que você também esteja com saudade de voltar para o seu auditório.

Aproveito a oportunidade para dizer duas ou três coisas sobre o SBT. Não sei se é a mais valiosa das empresas que você criou, mas seguramente é a mais importante. É a que será lembrada sempre que alguém falar de você.

O SBT vai completar 40 anos em agosto de 2021. Imagino que você e os seus executivos estejam fazendo planos para comemorar a data. Espero que sim.

Mais do que festejar a data redonda, creio que seja necessária uma mudança radical. Talvez seja preciso até mudar o DNA da emissora.

Tenho muitas dúvidas sobre a eficácia hoje do espírito que marcou as primeiras décadas do SBT, o de uma TV familiar, feliz, com torcida, satisfeita com a vice-liderança. São ideias bacanas, mas elas meio que anestesiaram a empresa.

A competição é feroz. Não é possível ignorá-la ou assisti-la do alto da colina, fingindo que não tem nada a ver com a briga. E os rivais não são só Globo e Record, mas plataformas digitais como You Tube, Netflix, Disney e Globoplay.

Silvio, você sabia que a Globo exibiu este ano uma minissérie sobre a Hebe? O SBT tem um acervo gigantesco para explorar - e não apenas os programas da madrinha, mas também os seus programas, os do Gugu e tantos outros. Imagine os fãs maratonando "Casa dos Artistas", "Topa Tudo por Dinheiro", "Táxi do Gugu", shows de calouros antigos...

O SBT precisa se modernizar. Isso não significa, necessariamente, abrir mão de continuar sendo uma TV popular. Mas significa saber com quem quer falar e como fazer isso. Significa, eventualmente, buscar um novo perfil de espectador, mais adulto. Significa abrir mão de fórmulas antigas, arcaicas mesmo, que funcionaram por inércia ao longo das décadas e que dependem quase exclusivamente de você.

Existe muito folclore sobre a forma como você administra o SBT, o "Silvio Brincando de Televisão". As experiências inesperadas, o método de tentativa e erro. Tudo bem. Você coleciona muitos acertos. Mas isso não é suficiente neste momento.

Quer investir em futebol? Ótimo. Mas não basta colocar uma partida de tempos em tempos na terça ou quarta à noite e criar um programa de debates nas noites de segunda-feira. É um trabalho longo e dedicado que precisa ser feito. Inclui, ainda, investir em jornalismo, que custa caro e dá dor de cabeça, mas é um pilar de qualquer canal de televisão que ambiciona ser levado a sério.

Sei que você não gosta de brigar com políticos, ainda mais do governo. Tudo bem. Mas é preciso manter uma distância mínima deles, de maneira que a independência não seja apenas uma peça de propaganda, mas real. Não faz bem passar a imagem de um canal servil.

Já escrevi algumas vezes que é injusto cobrar que você, um homem da primeira metade do século 20, seja obrigado a abraçar os valores vigentes nesta segunda década do século 21. Mas acho que você poderia ter um pouco mais de curiosidade, para tentar entender o impacto de coisas que você faz e diz sobre jovens imersos em outra realidade.

O SBT tem um patrimônio que são os programas de auditório que orbitam em torno do principal deles, o seu Programa Silvio Santos, e contam com bons apresentadores. Mas essas atrações precisam dialogar mais com o mundo atual, se modernizar, investir em novos formatos.

Um bom exemplo é o quadro "Minha Mulher que Manda", comprado para o programa da Eliana. São investimentos necessários, eventualmente arriscados, mas que podem compensar muito.

A aposta em novelas infantis mostrou-se correta, mas não dá para se escorar numa novela de 400 ou 500 capítulos. Também é preciso renovar a fórmula, apostar em novos autores, investir em séries, documentários etc.

Silvio, já falei mais de uma vez da admiração que tenho por você. Posso imaginar o peso dos 90 anos (meu pai chegou aos 103, lúcido e firme), mas acredito que você pode comandar as mudanças necessárias para fazer o SBT voltar a brilhar.

Mais uma vez, parabéns! Feliz aniversário!!!