PUBLICIDADE
Topo

As fake news e as verdades no estranho mundo da jardinagem

Cortar o cabinho na diagonal faz a rosa durar mais? Bom, isso é meia verdade - Getty Images
Cortar o cabinho na diagonal faz a rosa durar mais? Bom, isso é meia verdade
Imagem: Getty Images
CAROL COSTA

Jornalista há 20 anos, comanda o site Minhas Plantas, o quadro Jardinaria (BandNews) e o programa A Louca das Plantas (GNT). É autora do dos livros "Minhas Plantas - Jardinagem para Todos (Até Quem Mata Cactos)", "Horta em Vasos" e "365 Dias Para Plantar".

Colaboração para Nossa

06/06/2020 04h00

Quando comecei uma horta pela primeira vez, mal surgiam as flores de manjericão e eu já metia a tesoura nos ramos, preocupada em não perder o aroma das folhas. É verdade: ao florir, a planta concentra toda sua energia para gerar descendentes, então, precisa direcionar o máximo de nutrientes para fazer haste, encher botões, abrir flores, torná-las atrativas aos polinizadores e, uma vez que elas tenham sido fecundadas, desenvolver as sementes até que se despreguem da planta-mãe e possam enraizar.

E as folhas? Isso é secundário para uma verdinha preocupada em ser polinizada, então, sim, as folhas do manjericão vão perdendo um pouco do cheiro - e também ficam menores, pálidas, queimadas ou amarelas.

A verdade, no entanto, está ainda mais enraizada nessa resposta: de fato, o manjericão perde uma parte do cheiro ao florescer, mas não tanto que um cozinheiro amador como eu e você sejamos capazes de sentir, especialmente se a planta estiver no sol o dia inteirinho. Ou seja, antes de se preocupar com as flores (que as abelhas precisam tanto), que tal deixar o pé de manjericão no sol?

Na jardinagem, algumas "verdades" dessas tiram o sono do jardineiro iniciante, que fica dividido entre opiniões divergentes. É verdade que cortar a estaca na diagonal faz a rosa durar mais? Dá certo regar a orquídea com pedras de gelo? Suculenta precisa ser protegida de chuva? Adubo feito com sobras da cozinha queima as raízes? Vem cá entender o que está por trás dessas questões.

1. Orquídea precisa ser regada com duas pedras de gelo

Plantados - orquídea. Prefira o tradicional: regar com gelo é fake news - Getty Images - Getty Images
Prefira o tradicional: regar com gelo é fake news
Imagem: Getty Images
Mito: a maioria das orquídeas é de origem tropical, o que significa que gosta de muito calor, queima em temperaturas abaixo de 15ºC e ama umidade, tanto no ar quanto no substrato. Uma Phalaenopsis ou um Oncidium nem sequer sabem o que é gelo em seu habitat natural, porque neles a temperatura jamais chega a zero. Além disso, a quantidade de água que derrete de algumas pedras de gelo é muito pequena para hidratar a maioria das plantas adultas encontradas no mercado.

O que fazer então: regue sua orquídea com água abundante, deixando que escorra pelos furos do vaso, até ter certeza de que todo o substrato foi encharcado. Escorra bem e deixe o vaso no sol da manhã. Só molhe de novo quando estiver seco ao toque.

2. Cortar o cabinho na diagonal faz a rosa durar mais

plantados - rosas - Getty Images - Getty Images
Assim não vale: tem que ser debaixo d'água
Imagem: Getty Images

Meia verdade: o corte em bisel, como se chama esse talho na diagonal, aumenta a área de absorção de água da haste, sim, mas, para dar certo, você teria de cortar com a tesoura, a planta e as mãos dentro de uma bacia com água. Ao expor uma nova camada de tecido vegetal, o ar penetra nos finos cânulos de irrigação da flor, impedindo que a água do vaso mantenha a haste irrigada por mais tempo. De nada vai adiantar cortar em bisel se você fizer isso fora da água.

O que fazer então: para que seus arranjos florais durem mais tempo, não deixe que folhas fiquem em contato com a água, que deve ser trocada diariamente. Nenhum conservante floral é tão eficiente quanto vaso limpo e água fresca.

3. Suculenta não pode tomar chuva

plantados - suculentas - iStockphotos - iStockphotos
Até pode tomar chuva, mas exige cuidados
Imagem: iStockphotos
Mito: toda planta pode e precisa de chuva, já que essa é a fonte de água natural para a maioria dos ecossistemas terrestres. Algumas espécies aguentam passar meses sem rega porque aprenderam a acumular água em seus tecidos -- sejam raízes, bulbos, rizomas, tubérculos, folhas, caules, troncos ou flores, como é o caso das suculentas e de muitas outras plantas.

Uma única folha adulta de Echeveria, por exemplo, consegue armazenar até 10 ml de água, o que dá cerca de meio litro só na parte que fica para fora da terra. Com tanta água no corpo, essas plantas geralmente apodrecem com muita água no solo, mas isso não significa que não possam tomar chuva.

O que fazer então: pode deixar sua suculenta no tempo se ela estiver plantada no chão ou num vaso furado com substrato arenoso, mantido ao sol e ao vento, como acontece na natureza. Nos vasos dentro de casa, prefira não molhar as folhas.

4. Adubo de sobras da cozinha queima as raízes

plantados - adubo caseiro - Getty Images - Getty Images
Pode ir sem medo: adubo caseiro não prejudica a planta
Imagem: Getty Images
Mito: ao bater resíduos vegetais crus no liquidificador e colocá-los no solo, você oferece uma bomba de nutrientes ainda sem processamento, não decompostos, como na maioria dos adubos naturais. Embora esse material ainda precise se decompor, os fungos, bactérias e micro-organismos do solo farão o processo acontecer, não precisa separar o material para "fermentar" antes de aplicar.

Esse jeito de adubar imita o que a natureza já faz: quando a fruta cai aos pés da árvore, sua casca e caroço, mais fibrosos, ficam na superfície do solo, enquanto seus líquidos nutritivos penetram no solo e, depois de um tempo, adubam a terra.

O que fazer então: regue abundantemente após aplicar o "adubo de liquidificador" e SEMPRE cubra a terra com uma grossa camada de palha seca, como casca de pínus, folhas trituradas, cavacos de madeira ou serragem, entre outros. Eis o segredo.

5. Canela em pó faz a orquídea dar flor

Canela em pó - Etienne Voss/iStock - Etienne Voss/iStock
Uma colherinha de canela dá estímulo para dar flores
Imagem: Etienne Voss/iStock
Verdade: não se sabe bem o motivo, mas ao polvilhar uma colherinha de canela em pó superficialmente no substrato da Phalaenopsis, a planta ganha um estímulo para dar flores. O truque quase mágico não funciona com outros gêneros de orquídeas nem tem efeito em plantas cultivadas em ambiente sem sol nenhum, já que a floração está diretamente ligada à incidência de algumas horinhas de sol da manhã.

Mesmo Phalaenopsis com as folhas meio maltradas são capazes de reagir à canela, desde que tomem sol fraco e sejam regadas direitinho (volte ao segundo item desta lista). Canela em pau não dá muito resultado, já que demora parase decompor no substrato.

O que fazer então: duas vezes por ano, quando sua Phalaenopsis estiver sem flor, polvilhe por todo o substrato uma colher de café de canela em pó. A cada rega, um pouco desse material entrará em contato com as raízes e "acordará" a planta.