PUBLICIDADE
Topo

Dá para combinar cerveja e vinho com doces! Veja mitos das harmonizações

Juliana Simon

UOL

31/05/2017 04h00

Massa não combina com cerveja? Vinho não combina com churrasco? Muita gente acha que onde entra vinho não entra cerveja e vice-versa. Tudo isso por que os mitos que rondam as harmonizações de vinho e cerveja são muitos, o problema é que eles ajudam a limitar nossos prazeres à mesa. A seguir, Tiago Locatelli, professor da Associação Brasileira de Sommeliers e responsável pelas cartas de bebidas do Varanda Grill, em São Paulo, ajuda a derrubar as principais mentirinhas sobre essas combinações. 

Salada não combina com bebida. É mito!

Vinho branco com salada - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Combina, sim. Temos de levar em consideração o peso do prato e os sabores dominantes. Como é um prato leve, geralmente temperado com azeite e vinagre, ou algum molho de sabor ou textura marcante (mostarda, maionese, etc), deve ser combinada com bebidas mais suaves.

Os vinhos devem ser leves, com bom frescor, e em geral evite vinhos tintos. Uma salada que leva salmão cru, por exemplo, pode combinar com um rosé delicado. Salada com frutas como manga ou figos pedem vinhos frutados e com algum açúcar residual, como um riesling off-dry ou um espumante sec ou demi-sec. Saladas com aspargos vão bem com sauvignon blanc do Novo Mundo.

Nas cervejas, a mesma regra é válida: prefira estilos leves, como as Witbier. Evite cervejas muito amargas, pois o amargor não vai bem com a acidez do vinagre. Mas se você usar um molho cremoso, uma Session IPA é uma ótima escolha. Uma salada mais elaborada, com mariscos frescos, por exemplo, fica excelente com Bière Brut.

No churrasco, só entra cerveja. É mito!

Vinho tinto e churrasco - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

No caso do churrasco, devemos harmonizar também com o momento, a circunstância, e não somente com a carne em si.

Num dia de calor, um espumante Brut brasileiro vai muito bem, assim como vinhos tintos leves que possam ser consumidos resfriados, como um Beaujolais, um Valpolicella ou um Pinot Noir chileno.

Mas se você está pensando num churrasco mais formal, com cortes nobres grelhados com cuidado, procure tintos maduros de Bordeaux e Rioja, ou um bom Chianti.

Se optar por cervejas, prefira as de médio corpo – nem muito leves, nem muito densas - , como as inglesas Pale Ale, Best Bitter ou Brown Ale, ou a Dunkel alemã, que têm amargor sutil e álcool moderado, o que é importante numa reunião que dura horas. Evite cervejas muito carbonatadas (com muito gás) ou com álcool e amargor elevados.

Massa só fica boa com vinho tinto. É mito!

Massa com cerveja - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Nem todas! Algumas massas demandam vinho, sim, mas o branco. Pense num prato de espaguete com frutos do mar, um toque de alho, ervas frescas e azeite...é uma  má ideia comer com vinho tinto, pois vai brigar com os sabores do prato. Um branco pinot grigio aqui é uma escolha muito melhor. A escolha do vinho deve ser de acordo com o molho.

“Eu pessoalmente prefiro vinhos brancos também com molhos cremosos à base de queijo ou manteiga, como o carbonara, que fica muito bom com um chardonnay envelhecido em carvalho”, indica Tiago.

Quanto à cerveja, podemos traçar um paralelo com a cor, e trocar o pinot grigio por uma cerveja clara e mais adocicada, como Belgian Pale Ale. Se for comer uma massa com ragu, cozido por horas, encorpado, intenso, aposte numa Barley Wine ou uma Old Ale.

Na sobremesa, bebida está proibida. É mito!

Vinho tinto com doce - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Mais um mito que chega a doer! Doce harmoniza tanto com vinho, quanto com cerveja. Como regra geral, a bebida deve conter o mesmo teor de doçura que a comida.

Os vinhos mais indicados para chocolate são os fortificados. Para sobremesas onde o sabor do chocolate predomina, como mousse, Petit Gateau, o Porto e o Banyuls são excelentes. Se for um bolo que mescla um chocolate mais suave com frutos secos, como nozes e avelãs, o Moscatel de Setubal é indicado. Imagine um pavê de chocolate branco com frutos frescos, como pêssego e abacaxi, nesse caso um Muscat de Beaumes de Venise é perfeito.

As cervejas escuras são uma ótima escolha para mousses e bolos intensos, aposte na Eisbock ou Robust Porter. Para uma sobremesa que mistura chocolate com frutas, as Fruit Lambic (Kriek, Framboise, Pêche, etc.) fazem um par perfeito.

Onde vai cerveja, não vai vinho. É mito!

Cerveja, vinho e comida - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Segundo Tiago, é perfeitamente possível mesclar as duas bebidas numa refeição, começando com uma cerveja leve como aperitivo, depois um vinho branco com a entrada, um vinho tinto com o prato principal e finalizando com uma cerveja escura com a sobremesa, por exemplo.

Bebida alcoólica no brunch não combina. É mito!

Bebidas com brunch - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

É possível harmonizar sim, tanto que vários hotéis de luxo mundo afora servem espumante ou vinho branco mais leve no café da manhã. Essas opções valem também para o brunch, assim como cervejas mais acessíveis, como Lagers claras em geral, cervejas de trigo e Scottish Ales.