PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #160: Flamengo atropela Palmeiras, Flu afunda São Paulo e Galo líder

Do UOL, em São Paulo

13/09/2021 11h51

O Flamengo levou a melhor diante do Palmeiras e manteve a série de jogos sem derrotas para o clube paulista, agora de nove jogos, mesmo atuando desfalcado de jogadores como Filipe Luís, Rodrigo Caio, Bruno Henrique e Gabigol, enquanto o time de Abel Ferreira foi a campo com força máxima, saiu na frente, mas sofreu a virada mais uma vez, com derrotas nos dois turnos do Brasileirão para o rubro-negro, que o técnico português nunca venceu desde que chegou ao Brasil.

No podcast Posse de Bola #160, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a vitória do Flamengo diante do Palmeiras, os méritos de Renato Gaúcho para conseguir o resultado mesmo com o time desfalcado e os problemas da equipe de Abel Ferreira, que tem desempenho ruim diante de clubes que estão na parte de cima da classificação do Campeonato Brasileiro.

Mauro Cezar Pereira destaca um aspecto que ele já apontava no time de Abel Ferreira desde a temporada passada, criticando a falta de repertório da equipe palmeirense, que voltou a ter problemas no momento em que encarou um adversário que soube se fechar, além da sequência ruim de resultados em casa.

"Ele ficou treinando para esse jogo durante todo esse período de data Fifa, fez até um jogo-treino com uniformes, os dois times estavam com fardamento, o branco e o verde, juiz e tudo, aí você pensa que ele vai preparar alguma coisa de diferente. Nada. Nada diferente, tudo igual ao de sempre, então sou obrigado a repetir, falo desde o ano passado, não tem repertório, só joga de um jeito. Tem muita gente que não aceita isso, que faz malabarismos para tentar provar que tem, não tem repertório", afirma o jornalista.

"Eu estava vendo uma matéria do site Nosso Palestra que alerta para o seguinte, o Palmeiras contra os times que ocupam as seis primeiras colocações, ele só fez um ponto, contra o Corinthians. Perdeu para o Red Bull Bragantino, perdeu para o Fortaleza, esse em São Paulo, perdeu duas vezes para o Flamengo e perdeu para o Atlético-MG. Nos últimos cinco jogos, o Palmeiras perdeu quatro e venceu apenas o Athletico-PR, porque ele perdeu não só para o Flamengo ontem, como também perdeu antes para o Cuiabá em casa, perdeu para o Galo em Belo Horizonte e perdeu para o Fortaleza também em casa. Então, perdeu três dos quatro últimos jogos em casa, venceu só o Athletico-PR", completa.

Para o colunista do UOL, o mérito de Renato Gaúcho foi ter mudado a forma de jogar do Flamengo para causar desconforto para Abel Ferreira ao fazer com que o Palmeiras precisasse assumir a responsabilidade do jogo, e a estratégia funcionou do lado rubro-negro.

"O Renato Gaúcho fez o correto, é mérito dele isso, merece elogios, que foi causar o desconforto para o Abel Ferreira e o desconforto é o que? O seu time vai ter que assumir a responsabilidade sobre o jogo. Eu acho até que na saída do Arrascaeta não só o time sentiu a saída do jogador, mas acho também que de propósito o Flamengo recuou. O Flamengo recua e chama o Palmeiras, eu não tenho mais o Arrascaeta, para mim ficou mais complicado atuar dentro do seu campo, vou jogar no meu campo: venha, Palmeiras", diz Mauro Cezar.

"Quando ele [Abel] tira o Veiga e põe o Scarpa, fica claro, ele não treina e não gosta da ideia de ter os três meias, Veiga, Scarpa e Dudu jogando como meia, jogadores criativos, que podem fazer boas combinações, mais ou menos como o Flamengo faz com Ribeiro e Arrascaeta, fazia com o Gerson também quando era do elenco. Ou seja, é falta de repertório, o elenco oferece condições. Quando você está jogando com um adversário que se fechou, e o Flamengo se fechou, o ideal é você ter gente com qualidade para poder trabalhar com a bola e criar espaços na defesa adversária, o Palmeiras não faz isso", conclui.

Além do jogo entre Palmeiras e Flamengo, o programa também analisa a vitória do Atlético-MG diante do Fortaleza no Castelão, a vitória do Fluminense diante do São Paulo, com o tricolor carioca se aproximando do G6, enquanto o paulista fica perto da zona de rebaixamento, a saída de Daniel Alves, que não joga mais no clube do Morumbi, além do empate do Corinthians com o Atlético-GO, em jogo com desfalque de Willian após intervenção da Anvisa.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.