PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Posse de Bola #112: Dívidas de Galo e Corinthians, Rafinha no Grêmio e Fla

Do UOL, em São Paulo

29/03/2021 12h52

O Corinthians divulgou na última semana o balanço financeiro relativo à temporada de 2020, com a revelação de uma dívida de R$ 956,9 milhões, sem contar os valores referentes à Neo Química Arena. No podcast Posse de Bola #112, a situação financeira corintiana é analisada pelos jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira, assim como a situação do Atlético-MG, a comparação ao Palmeiras, as contratações do Grêmio e o Flamengo no Campeonato Carioca.

Juca Kfouri afirma que tem desconfiança se a situação financeira do Corinthians não é ainda pior do que aponta o balanço financeiro apresentado, além de citar a reprovação das contas referentes a 2019 e a sequência do mesmo grupo na gestão do clube do Parque São Jorge e que Andrés Sánchez havia prometido 'o melhor balanço do futebol brasileiro' em 2020.

"Se eu fiquei surpreso com o balanço? Fiquei e tenho desconfiança se é aquilo mesmo ou se não é o dobro. Claro que ali não está o estádio. Agora, lembro a vocês que este brilhante Andrés Sanchez prometeu um pouco antes de largar o osso que o Corinthians apresentaria o melhor balanço de todos os clubes brasileiros em 2020. 'Campeão de balanço. Não era isso o que vocês queriam? Vai ser o campeão do balanço. Aquilo que nós não fizemos em campo, teremos feito fora de campo'. Não, aquilo que ele não fez em campo, fora de campo fez ainda pior", analisa Juca.

"Honestamente, sem nenhuma ironia, não tenho certeza de que este balanço é o balanço verdadeiro, se a coisa não é pior do que o balanço demonstrou. Daquelas situações que quando a oposição chega e pega uma auditoria para fazer o levantamento, depois o presidente diz 'estamos trabalhando sobre terra arrasada, temos uma herança maldita'. A diferença é que uma herança maldita desta gestão foi criada por esta gestão, mas é muito preocupante a situação do Corinthians", completa.

O jornalista ressalta que o atual presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, era o diretor de futebol da gestão de Andrés Sanchez e participou das contratações de jogadores que são difíceis de serem compreendidas, citando Luan, Léo Natel e Jonathan Cafu.

"Quem está no Corinthians dá sequência ao trabalho que fez o Andrés Sanchez, era diretor de futebol do Andrés Sanchez, participou dessas contratações. Eu vou repetir mais uma vez, é de se compreender a contratação do Cantillo, é de se compreender eventualmente a do Sornoza, certamente a do Gil, mas não é de se compreender a contratação do Luan, não há como compreender, e foi a mais cara. A do Léo Natel, tinha aquele Jonathan Cafu", diz Juca.

"O Corinthians está dominado por empresários e a gente sabe que empresário não domina um clube meramente pela bela cor de seus olhos. Domina porque faz 'rachuncho' com cartola. Essa é a situação do Corinthians, o Corinthians há anos alimenta um tipo de cartola e a conta chega", completa.

CBF e legislação brasileira não punem o doping financeiro

Para Juca, a única saída para que o Corinthians consiga se recuperar financeiramente é economizando e aceitando uma condição de um time menos competitivo, criticando o fato de a CBF não agir para coibir o que chama de doping financeiro.

"Ou o Corinthians se reorganiza, não ganha nada, sofre com os Retrô da vida. Se duvidar, não passa da terceira fase da Copa do Brasil, ou vai tentar manter um time competitivo, vai se valer do doping financeiro porque qualquer contratação que o Corinthians faça agora é uma deslealdade em relação aos seus concorrentes, pelo menos aqueles que estão pagando as contas, mas isso a CBF não vê, isso a legislação esportiva brasileira não pune, fica com essa bobagem dos treinadores que não podem ser trocados mais de uma vez. O essencial não se olha", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL