PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Posse de Bola #104: Palmeiras vence o Grêmio, Paulistão e Cuca no Galo

Do UOL, em São Paulo

01/03/2021 12h58

O Palmeiras venceu o Grêmio por 1 a 0 em Porto Alegre no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, sendo que o time comandado por Abel Ferreira jogou com um a menos a partir dos 18 minutos do segundo tempo, devido à expulsão do zagueiro Luan por uma cotovelada em Diego Souza. Após o jogo, Renato Portaluppi reclamou de arbitragem, disse que seu time foi prejudicado e só perdeu por causa de um detalhe.

No podcast Posse de Bola #104, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a primeira partida da decisão, a atuação do Palmeiras, a do Grêmio e as declarações dadas pelo técnico gremista na entrevista coletiva pós-jogo.

Mauro Cezar Pereira afirma que o Palmeiras foi superior ao Grêmio e que para isso não precisou de tanto, dada a atuação fraca do time comandado por Renato Portaluppi. O jornalista critica o nível do jogo apresentado e ressalta mais uma vez como os times brasileiros têm jogado abaixo em jogos decisivos, citando a final da Libertadores e a última rodada do Brasileirão.

"O Palmeiras jogou melhor, me parece óbvio, teve mais chances que o Grêmio. Aliás, para ter menos chances que o Grêmio, teria que não ter chances, o Grêmio nada fez. Então, o Grêmio não é um bom paralelo para avaliar a qualidade do futebol que o Palmeiras apresentou, porque o Grêmio não existiu em campo, enquanto o Palmeiras foi melhor, a vitória foi justa, a expulsão do Luan acho que atrapalha um poucos os planos no sentido de tentar de repente ampliar o placar, o time passa a jogar com um homem a menos, então evidentemente muda o seu comportamento, mas não chegou a sofrer", diz Mauro Cezar.

"Outra vez um jogo fraco, um jogo fraco especialmente pelo Grêmio, é verdade, e o jogo só melhora um pouco por conta do gol. Se fica no 0 a 0, acho que iria continuar aquela ladainha ali, uma jogadinha aqui, outra ali, mas muito pouco ímpeto, muito pouco apetite pela vitória, sempre aqui no Brasil com muita tolerância com aquela história do 'ah, é uma final, os times se respeitam'. Essa história de se respeitam até certo ponto vale, mas muitas vezes não é respeito não, é medo mesmo, é um futebol covarde e a pandemia está servindo de desculpa para que os times sejam prioritariamente assim", completa.

Mauro também desaprova a entrevista dada por Renato Portaluppi e vê o técnico mais uma vez em tentativa de desviar o assunto quando o seu time pouco produziu em campo diante de um adversário que passou boa parte da partida jogando apenas com dez homens.

"A entrevista do Renato foi uma coisa completamente descabida, de novo na Portaluppilândia, falando coisas que só lá em Portaluppilândia as pessoas acreditam, porque não é possível que de fato o Renato acredite nisso", afirma o jornalista.

Ele também aponta a necessidade de que o Grêmio e o técnico resolvam pela permanência ou não pelo fato de o time gaúcho já ter a fase preliminar da Libertadores para disputar caso não consiga levar a melhor no segundo jogo da final contra o Palmeiras.

"O Grêmio também terá que resolver a vida rapidamente, especialmente se o Palmeiras for campeão, no momento o Palmeiras está mais próximo do título, é claro, porque isso vai significar o Grêmio jogando a primeira fase da Libertadores, então ele vai ter que correr contra o tempo para começara a disputar", diz Mauro Cezar.

"Dois dias depois, então o Grêmio não tem nem condições de, caso perca o título domingo à noite, de pensar no que fazer, tem que rapidamente planejar a sua vida, então esse jogo tem impacto muito grande na programação do Grêmio, não só com relação ao título, claro, que é muito importante, mas a premiação, relevante também, muito alta, mas também com relação ao que fazer da vida, já que dois dias depois tem esse primeiro jogo, caso seja derrotado", conclui.

O programa também analisa a atuação do Corinthians no empate com o Red Bull Bragantino pelo Campeonato Paulista, a estreia de Hernan Crespo como técnico do São Paulo sem conseguir vencer o Botafogo-SP, em jogo com nova polêmica do VAR, o Atlético-MG próximo do acerto com Cuca, o Vasco tendo Marcelo Cabo como novo treinador e a possibilidade de mudanças no Flamengo para a nova temporada após o título brasileiro.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL