PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Rivais do skate feminino compartilham abraços e lágrimas em Tóquio

04/08/2021 12h41

Por Mari Saito

TÓQUIO (Reuters) - Misugu Okamoto, skatista de 15 anos da região central do Japão, chegou à final de skate park desta quarta-feira na liderança, mas um erro em uma manobra importante a empurrou para o quarto lugar.

Arrasada, Okamoto se encolheu no fundo da pista, colocando as mãos no capacete.

Mas ao invés da cena costumeira em que um treinador ou familiar consola a atleta, o que se viu foi Okamoto ser cercada imediatamente pelas rivais de Japão, Austrália e Brasil.

As garotas lhe deram tapas nas costas e ergueram Okamoto nos ombros, um gesto tão espontâneo e terno que tocou os espectadores das redes sociais de imediato.

"Todas as atletas são anjos de medalhas de ouro", escreveu um usuário japonês do Twitter, e outro identificado como @Memikaru1203 na plataforma disse: "Dá para notar que elas realmente respeitam uma à outra. Estou muito impressionado, e espero aprender com isso".

"Vocês são todas vencedoras", responderam outros usuários.

A camaradagem inesperada entre competidores não é necessariamente rara na Olimpíada, mas é particularmente notável durante a Tóquio 2020, na qual atletas falam abertamente sobre seus problemas de saúde mental.

Anteriormente, Okamoto admitiu estar especialmente nervosa em sua primeira Olimpíada. Instada mais de uma vez pelos repórteres a falar sobre o apoio das rivais, ela ficou com os olhos cheios de lágrimas e só disse "fico agradecida".

Esporte