PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Comprar participação no Valladolid foi como um presente, diz Ronaldo

Ronaldo dá entrevista em Valladolid - Oscar del Pozo/AFP
Ronaldo dá entrevista em Valladolid Imagem: Oscar del Pozo/AFP

13/12/2018 11h17

MADRI (Reuters) - O ex-atacante do Real Madrid e da seleção brasileira Ronaldo falou com franqueza sobre sua decisão de comprar o time espanhol Real Valladolid neste ano.

O ex-jogador três vezes eleito o melhor do mundo adquiriu uma participação de 51 por cento do clube em setembro e afirma que tem sido uma ótima parceria desde o início.

"Eu estava procurando algo para fazer há dois anos, procurei um time para comprar na Espanha e na Inglaterra, e o Valladolid foi como um presente", disse.

"Não somente é um clube com 90 anos de história atrás de si, é uma cidade com 300 mil habitantes e é um lugar que respira futebol, e tudo isso significa um potencial enorme".

"Poder inspirar pessoas é melhor do que fazer uma trinca de gols no Barcelona. Encontrei exatamente o que queria e tenho muito a dar a eles também".

Ronaldo também apoiou a iniciativa do Campeonato Espanhol de disputar um jogo nos Estados Unidos, que desmoronou no início desta semana porque o Barcelona desistiu da partida devido a um desentendimento com as partes organizadoras.

"Jogar no exterior se alinha com o nosso projeto. Você precisa ser conhecido em casa e no exterior. Sou a favor, mas nossa torcida decidirá no final", afirmou.

"É uma proposta interessante para nosso clube e nossa marca".

Enquanto isso, confessou, está tentando usar seus contatos no Real para conseguir algumas contratações, entre elas ninguém menos que a do jovem compatriota Vinicius Junior, neste caso emprestado.

"Perguntei ao (presidente do Real Madrid) Florentino Pérez se podemos ficar com ele, mas acho que vai ser difícil!".

Além sobre essa questão pontual com a equipe madrilena, Ronaldo foi questionado sobre o atual momento que enfrenta o Real Madrid e seu afastamento como embaixador do clube. 

"As equipes que vão se encontrar com o Real Madrid vão sofrer muito. Eles não estão no melhor momento, mas na Liga dos Campeões o Madrid se supera. Atualmente não sou mais embaixador do Real, pelo menos com salário, não", afirmou o ex-jogador. 

(Por Joseph Cassinelli)

Esporte