PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após ouro de Ana Marcela, Brasil fica longe do pódio em provas nesta 4ª feira

04/08/2021 16h24

Tóquio, 4 ago (EFE).- Após começar a quarta-feira na capital japonesa com o histórico ouro de Ana Marcela Cunha na maratona aquática, o Brasil teve poucos resultados expressivos nos Jogos de Tóquio, marcado pela estreia do skate park na história olímpica e pela quebra do recorde mundial dos 400 metros com barreiras para mulheres no atletismo.

A última dupla brasileira no torneio masculino de vôlei de praia, Alison e Álvaro Filho, foi eliminada. Nas quartas de final, eles perderam por 2 sets a 0 para os letões Martins Plavins e Edgars Tocs, que na fase anterior foram carrascos de Evandro e Bruno Schmidt. Pela primeira vez desde que o vôlei de praia passou a fazer parte do programa olímpico, em Atlanta 1996, o Brasil se despede de uma edição dos Jogos sem uma medalha na modalidade, tanto entre homens como entre mulheres.

SKATE PARK ESTREIA.

Na primeira vez que o skate park - modalidade em que participantes devem fazer manobras em uma pista com obstáculos que remete uma piscina -, fez parte dos Jogos Olímpicos, o Brasil acabou ficando longe da disputa das medalhas.

Dora Varella e Yndiara Asp sofreram com quedas em momentos cruciais das apresentações e ocuparam o sétimo e oitavo lugares, respectivamente.

Terceira brasileira na disputa, Isadora Pacheco não conseguiu avançar à final e acabou fora da disputa por medalhas.

O ouro ficou com a japonesa Sakura Yosozumi, que ficou pouco à frente da compatriota Kokona Hiraki. O histórico pódio foi completado pela britânica Sky Brown.

INGRID ELIMINADA NOS SALTOS; BRASILEIRAS FICAM EM 9º NA VELA.

Na prova da plataforma de 10 metros para mulheres dos saltos ornamentais, Ingrid Oliveira terminou na 24ª colocação, entre 30 concorrentes. A China garantiu a primeira e segunda colocações, com Yuxi Chen e Hongchan Quan, e os Estados Unidos a terceira, com Delaney Schnell.

Na vela, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan concluíram na décima e última posição a 'medal race' da classe 470, com isso fecharam a disputa na nona colocação, entre 21 competidoras inscritas nos Jogos Olímpicos.

RECORDE MUNDIAL.

A americana Sydney McLaughlin venceu os 400 metros com barreiras e, de quebra, quebrou o recorde mundial em prova disputada no Estádio Nacional de Tóquio. O ouro veio graças a tempo de 51s46, que superou a própria melhor marca de todos os tempos até então, estabelecida há menos de dois meses em Eugene, nos Estados Unidos.

Dalilah Muhammad, também americana, até tentou lutar pelo título com a compatriota, mas ficou 0s12 atrás e teve que se contentar com a prata. O bronze foi conquistado pela holandesa Femke Bol, com 52s03, melhor marca europeia de todos os tempos.

Já nos 110 metros com barreiras para homens, Gabriel Constantino e Rafael Pereira acabaram se despedindo ainda nas semifinais e não disputarão a prova em que as medalhas serão colocadas em jogo, programada para desta quinta-feira, às 11h55.

Gabriel Constantino participou da primeira bateria e ficou em oitavo e último lugar com o tempo de 13s89, 0s34 pior do que havia feito nas eliminatórias.

Rafael Pereira, por sua vez, participou da terceira e última série e ficou com a sexta colocação. Ele completou a prova em 13s62, 0s16 acima do que havia feito na primeira fase.

Os dois melhores das semifinais no Estádio Olímpico de Tóquio foram representantes dos Estados Unidos. Grant Holloway, atual campeão mundial, foi o mais rápido, com 13s13, e Devon Allen foi o segundo mais rápido, a 0s05 do compatriota.

Esporte