PUBLICIDADE
Topo

Chicago é descartada como uma das sedes americanas para a Copa de 2026

07/07/2020 00h37

Redação Central, 6 jul (EFE).- A cidade de Chicago, que sediou a abertura da Copa do Mundo de 1994, não será uma das sedes da edição do torneio de 2026, que terá Estados Unidos, Canadá e México como organizadores conjuntos.

O diretor-chefe de torneios e eventos da Fifa, Colin Smith, garantiu, em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, que a cidade não constará na lista de sedes americanas, que ainda não está fechada.

A confirmação não chegou a surpreender, já que no mês passado, o prefeito de Chicago, Rahm Emanuel, dirigiu palavras duras contra a entidade internacional.

"Querem um cheque em branco dos contribuintes, os disse que isso não iremos dar", apontou o governante municipal.

Na Copa de 1994, o estádio Soldier Field recebeu cinco partidas da competição, entre elas a de abertura, em que a então atual campeã, Alemanha, bateu a Bolívia por 1 a 0.

Ainda nesta segunda-feira, o americano Dan Flynn, que integrante o Comitê Organizador do Mundial de 2026, o primeiro que terá 48 seleções, admitiu que não há uma data para a divulgação das sedes dos EUA, já que o trabalho está atrasado por causa da pandemia da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

Os americanos receberão a decisão do torneio, que segundo o dirigente, deverá acontecer em um estádio com capacidade mínima de 80 mil pessoas.

Esporte