Topo

Esporte


Engasgada, Ferrari busca encurtar distâncias para a Mercedes na França

20/06/2019 11h37

Redação Central, 20 jun (EFE).- A Ferrari, que viu o alemão Sebastian Vettel ser punido com a perda da vitória no Grande Prêmio do Canadá, há duas semanas, encara neste fim de semana o GP da França, no circuito de Paul Ricard, como uma chance de demonstrar força e encostar na concorrente, que venceu todas as provas de 2019.

Em Montreal, o quatro vezes campeão mundial foi o primeiro a cruzar a linha de chegada, mas por causa de uma punição que somou cinco segundos ao seu tempo total de corrida, devido manobra considerada irregular após uma saída de pista, em que quase se chocou com o britânico Lewis Hamilton, acabou vendo o rival ganhar.

O piloto da Mercedes, com isso, chegou a terceira vitória consecutiva na temporada e alcançou a marca de 162 pontos, contra 133 do companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas, e 100 de Vettel, que fecha o 'top-3' da atual classificação do Campeonato Mundial.

Entre os construtores, o estrago é ainda maior para o time italiano, que aparece com 172 pontos, contra 295 dos líderes. Ou seja, para uma virada a curto prazo, seriam necessárias três dobradinhas da Ferrari, com a escuderia alemã marcando cinco pontos no máximo.

Nas sete primeiras etapas do Mundial, a Mercedes obteve cinco dobradinhas consecutivas e ficou perto do recorde absoluto da categoria. Como Bottas não conseguiu manter a competitividade com Hamilton, o dono de cinco títulos pode até sair sem pontuar da França, que seguirá no primeiro lugar.

Em Paul Ricard, que voltou a receber corrida da Fórmula 1 no ano passado, as lembranças para o britânico são boas, com a vitória na edição passada, após também ter alcançado a pole position. A Ferrari, por sua vez, fez terceiro lugar, com o finlandês Kimi Raikkonen, e quinto com Vettel.

A Red Bull, que vem fazendo temporada discreta, alcançou em 2018 o segundo lugar na França, com o holandês Max Verstappen. Neste ano, o jovem conseguiu, no máximo, dois terceiros lugares, tem 88 pontos e está em quarto na tabela, a frente do monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, que tem 72.

Após o 'top-5', a diferença é grande, com o francês Pierre Gasly, da Red Bull, aparecendo na sexta posição, com 36 pontos, seguido pelo espanhol Carlos Sainz, da surpreendente McLaren; pelo australiano Daniel Ricciardo, da Renault; pelo dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas; e pelo mexicano Sergio Pérez, da Racing Point.

As atividades para o Grande Prêmio da França terão início nesta sexta-feira, com o primeiro treino livre, marcado para acontecer às 6h (de Brasília). Quatro horas depois, os pilotos voltarão para a pista e disputarão o TL2. No sábado, às 7h, haverá a terceira sessão.

No mesmo dia do TL3, a partir de 10h, acontecerá a definição do grid. No domingo, às 10h10, será dada a largada para a primeira das 53 voltas, em que os participantes totalizarão 309.690 quilômetros percorridos, até a bandeirada final. EFE

Mais Esporte