PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Chelsea diz que agiu "de acordo com as regras" em contratação de menores

22/02/2019 11h47

Londres, 22 fev (EFE).- O Chelsea, que nesta sexta-feira foi proibido pela Fifa de realizar contratações nas próximas duas janelas de transferência, publicou um comunicado no qual explicou que agiu "de acordo com as regras" nas contratações de jogadores menores de idade e adiantou que recorrerá da decisão.

O clube inglês foi punido pela Fifa por violar as regras impostas pela entidade no que diz respeitos às contratações internacionais de jogadores menores de 18 anos.

A decisão significa que o Chelsea não poderá contratar jogadores nas próximas duas janelas de transferência e terá que arcar com uma multa de 600 mil francos suíços (528 mil euros).

"O Chelsea refuta categoricamente as acusações do Comitê Disciplinar da Fifa e apelará da decisão", disse o clube londrino em comunicado publicado em seu site.

Além disso, o Chelsea esclareceu que respeita o trabalho realizado pela Fifa para proteger os menores de idade e ressaltou que colaborou com a entidade máxima do futebol durante as investigações.

O regulamento da Fifa impõe normas estritas para as contratações de jogadores internacionais menores de 18 anos, como, por exemplo, que os pais do jogador devem se transferir com ele, que ambos os clubes estejam na União Europeia ou no Espaço Econômico Europeu e que os jogadores tenham entre 16 e 18 anos.

Segundo o Chelsea, o clube foi acusado por quebrar os artigos 19.1 e 19.3 do regulamento em relação a 92 jogadores, no entanto, a Fifa revelou que não houve ilegalidade em 63 desses casos, mas não nos 29 restantes.

"O Chelsea agiu de acordo com as regras e em breve enviará um recurso à Fifa", informou o clube inglês. EFE

Esporte