PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dacar procura sede na América do Sul, na África e no Oriente Médio para 2020

21/02/2019 20h38

Paris, 21 fev (EFE).- Os organizadores do rali Dacar buscam sede para a edição do ano que vem e têm abertas três linhas de negociação: na América do Sul, onde foram realizadas as últimas 11 edições, na África, seu cenário tradicional, e no Oriente Médio.

Fontes da organização disseram à Agência Efe que nada foi assinado ainda e que no momento preferem não confirmar nem desmentir boatos. A única revelação feita é que no Oriente Médio o país que tem mais forças para receber carros, motos, caminhões e quadriciclos do rali mais famoso do mundo no momento é a Arábia Saudita.

Neste ano, pela primeira vez na história, todas as etapas do Dacar foram realizadas em um mesmo país, o Peru. Chile e Argentina, que abriram as portas da América do Sul para o rali em 2009, depois que a edição de 2008 foi cancelada por ameaça de ataques terroristas na África, acabaram desistindo da corrida em 2015 e no ano passado, respectivamente. O mesmo aconteceu com a Bolívia, por onde o evento passou em 2017 e 2018.

"As desistência de Chile, Bolívia e Argentina nos levaram a ser mais ativo na busca por outros países. Não posso saber como estará a economia desses países dentro de um ano, e o Dacar tem a responsabilidade de organizar uma corrida de qualidade", afirmou à Efe em maio passado o diretor da disputa, Etienne Lavigne.

Na época, já se falava de um retorno à África, continente onde o rali nasceu. Angola e África do Sul apareceram como principais candidatos. Depois, surgiu a possibilidade de se mudar para a Arábia Saudita.

O Dacar tem uma logística muito complexa e, portanto, precisa de muita estabilidade, como os organizadores sempre repetem. O evento ficou em risco em 2015, com desistências de última hora de Peru e Chile, e os organizadores não querem mais correr riscos. EFE

Esporte