PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dortmund responsabiliza Barça por rebeldia de Dembélé

20/08/2017 13h19

Berlim, 20 ago (EFE).- O gerente do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke, responsabilizou neste domingo o Barcelona de forma direta pela postura de rebeldia do atacante francês Ousmane Dembélé, que vem se negando a treinar para forçar a transferência para o clube catalão.

"De verdade, alguém acredita que um jovem perto dos 20 anos diz ao seu clube 'não venho mais treinar' sem a benevolência de seu possível novo clube? É inacreditável", declarou o dirigente à emissora "Sky Sports".

Watzke se referiu às conversas tidas na última quinta-feira com representantes do Barcelona. No sábado, o Dortmund disse que aceita vender Dembélé, desde que as condições do clube sejam atendidas.

"O respeito exige que um clube fale com o outro. O Barcelona sempre pareceu super sério. O fato é que nos despedimos sem resultados e com uma grande brecha. E de forma totalmente inesperada, (Dembélé) na sexta-feira não vem ao treino", afirmou o gerente, chamando o sumiço do francês de "coincidência temporária".

O dirigente lembrou que na temporada passada o jogador escolheu o Dortmund em detrimento do Barça porque considerou que nos 'Aurinegros' teria mais chances de jogar e evoluir. Agora, porém, ele que sair e está suspenso por se recusar a treinar.

"Deixamos claro que dentro de um ano ele não poderia sair. Mas agora ele vem com este grande sonho e acha que já pode ir para o Barcelona", criticou Watzke, que apontou duas possibilidades para que o caso seja solucionado.

"O Barcelona paga o valor que queremos. Querem este jogador, que ainda tem quatro anos de contrato. Acabam de receber 222 milhões de euros (por Neymar), e nós temos uma exigência. Se eles a cumprirem, e nós não temos pressa, a transferência acontecerá. Do contrário, no dia 1º Dembélé estará de volta e deverá fazer um mea culpa", finalizou.

Esporte