PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Norma se emociona e agradece ajuda recebida no UFC PI: "Cheguei quebrada"

Ag. Fight

Ag. Fight

17/10/2021 12h47

Apesar de ter sido conquistada de forma relativamente tranquila, a vitória sobre Aspen Ladd na luta principal do UFC Vegas 40, no último sábado (16), gerou uma explosão de emoções na brasileira Norma Dumont. Afetada pelas incertezas sobre o futuro do peso-pena (66 kg) feminino na organização e pela dificuldade em baixar de categoria, a mineira pôde respirar aliviada após seu mais recente triunfo e se emocionou ao agradecer pela ajuda recebida nos momentos difíceis.

Com a categoria dos penas sob constante risco de extinção, Norma, logo após sua estreia no Ultimate, em fevereiro do ano passado, tentou se estabelecer no peso-galo (61 kg), mas, por conta de sua composição corporal, encontrou problemas para descer de peso e se enquadrar no limite da divisão até 61 kg, chegando a falhar na balança antes de seu segundo compromisso na liga. Ciente que sua continuidade na organização poderia estar em perigo, a brasileira se mudou para Las Vegas (EUA), a fim de trabalhar em conjunto com o Instituto de Performance do UFC (UFC PI), responsável por auxiliar o desenvolvimento dos atletas.

O trabalho desenvolvido no UFC PI, ainda que não tenha resolvido imediatamente a questão sobre a sua descida para o peso-galo, foi exaltado pela brasileira na entrevista coletiva logo após sua vitória no último sábado (veja acima ou clique aqui). Visivelmente emocionada, Norma - que já vislumbra um futuro menos incerto para a divisão dos penas - fez questão de mostrar sua gratidão aos profissionais do Instituto de Performance do Ultimate e creditou a eles sua recuperação física e mental após sua chegada a Las Vegas.

"Se for escolha minha, com certeza (fico no peso-pena). Eu bati o peso muito bem. Eu queria agradecer inclusive a galera do PI. Os preparadores físicos, os fisioterapeutas, que recuperaram uma lesão semana passada no meu pé, e principalmente ao Clint (Wattenberg, diretor de nutrição esportiva), que é o médico. Eu cheguei em Las Vegas quebrada mentalmente e fisicamente. E eles me recuperaram. Eu quase fui demitida. E o PI me recuperou. Então, eu sou muito grata", declarou Norma, sem esconder a emoção.

Antes mesmo do combate contra Aspen Ladd, que liderou o card do UFC Vegas 40, Norma Dumont já mostrava otimismo quanto ao futuro do peso-pena, apontando para a possível migração de novas atletas, além de sua adversária no último sábado, para a divisão até 66 kg, em função do desgastante corte de peso no peso-galo. A chegada de novas, e renomadas, rivais pode, na opinião da brasileira, atrair maior atenção para a categoria e afastar de vez o fantasma de extinção, o que garantiria para a mineira sua permanência definitiva na classe de peso onde se sente bem.

Esporte