Topo

Esporte


Agora vai! Cristiano Marcello marca para dezembro retorno ao MMA

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

18/06/2019 06h00

O MMA está repleto de exemplos de 'quarentões' que se mantêm ativos: Yoel Romero, Anderson Silva, Lyoto Machida, Francisco 'Massaranduba'... Neste 2019, Urijah Faber aproveitou os 40 anos para retornar da aposentadoria e se testar contra Ricky Simon, 14 anos mais novo, no mês que vem. E o Brasil também tem o seu 'California Kid': Cristiano Marcello, aos 41 anos, marcou para dezembro o seu retorno ao MMA após cinco anos apenas como comandante da equipe paranaense CM System.

Marcello vai voltar aos cages pelo Brave CF, principal evento de MMA do Oriente Médio. O show tem em seus quadros alguns dos principais talentos da CM System, como Luan 'Miau', atual campeão dos pesos-leves (70 kg), Gabriel 'Fly' e Geraldo 'Luan Santana'. A relação com a organização foi um dos fatores citados pelo veterano ao comentar seu retorno.

"Eu estou muito feliz de estar no Brave. É um evento que valoriza muito os atletas, as equipes dos atletas... Eles realmente valorizam quem faz o show. Estou amarradão, realmente já voltei a treinar. Minha previsão (para lutar) é África do Sul, em dezembro. Ainda não tem adversário, mas a minha vontade é essa: tudo está indicando que seja África do Sul, em dezembro", falou.

A decisão de voltar às artes marciais mistas foi tomada ano passado, mas o tempo de inatividade pesou. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Marcello explicou que sofreu uma lesão em um dos seus já combalidos joelhos - o que postergou seu retorno.

"Eu estava naqueles quatro anos da aposentadoria, aí eu voltei a treinar. Aí, com quatro meses que eu tinha voltado a treinar... Eu já tinha os joelhos sem os ligamentos, mas a musculatura segurava. Mas, como eu estava tinha muito tempo sem treinar, meu joelho esquerdo travou fazendo o camp da Bethe (Correia) na semana da luta dela, no UFC de Los Angeles. Voltei, já operei os dois joelhos, aí fiquei sete meses totalmente parado", comentou.

A inesperada contusão em 2018 fez com que Cristiano adotasse uma postura mais cautelosa em relação ao fim da aposentadoria. Para que não ocorra o mesmo que em 2018, o lutador de 41 anos afirmou que tem voltado gradualmente aos treinamentos.

"Então, estou fortalecendo a musculatura, aquela coisa toda, fazendo bastante corrida, bicicleta ergométrica, batendo manopla, fazendo jiu-jitsu... Mas ainda não estou ainda naquele ritmo. Eu acredito que em setembro, três meses antes da luta que supostamente vai acontecer em dezembro, eu passe a treinar muito forte. E também aquela coisa: eu marquei pra dezembro para não ter pressa, para as coisas serem bem gradativas, até para não lesionar de volta", declarou.

"No dia a dia, com todos os atletas que eu tenho na CM, eu estou estudando todos os dias. Vejo milhares de lutas todos os dias. Minha mente está totalmente atualizada e focada, é só questão do corpo mesmo, do físico", completou.

Enquanto não agenda sua luta de retorno, Marcello concilia os treinos com o gerenciamento da academia. O fim de junho, inclusive, será agitado para a CM System: no próximo dia 28, Eduardo Dinis e Vitor Petrino enfrentam Cristiano Souza e Ewerton Polakini pelo Max Fight, enquanto, no Future MMA 6, Luiz Cado disputa o cinturão da categoria meio-pesado (93 kg). No mesmo evento, a peso-átomo (48 kg) Maria Ribeiro encara Valesca Tina.

Mais Esporte