PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dominick Cruz rompe silêncio e revela drama de nova lesão

Ag. Fight

18/12/2018 15h54

Dominick Cruz possui um histórico que nenhum lutador gostaria de ter, o de graves lesões. O peso-galo (61 kg) já se machucou diversas vezes ao longo da carreira e, com isso, ficou diversa vezes inativo durante os últimos anos - e em 2018 não foi diferente. Escalado para enfrentar John Lineker no dia 26 de janeiro, o ex-campeão do UFC foi obrigado a abandonar o combate após sofrer um contusão no ombro, que, de acordo com o próprio, o deixou muito triste.

Nessa segunda-feira (17), Cruz participou do programa 'Ariel Helwani's MMA Show' e descreveu com detalhes a lesão sofrida. De acordo com o americano, a contusão aconteceu no momento em que Dominick lançou um golpe durante uma sessão de treinos. Logo em seguida, o atleta sabia que tinha se machucado de forma grave, como o próprio relatou.

"Eu fiz tudo com muito cuidado para ter certeza de que estaria pronto para essa luta (Lineker). (Eu começo a treinar) E no final do meu segundo round, eu joguei a mão direita e enquanto jogava um overhand de direita eu senti um estalo no meu ombro direito e depois senti meus dedos ficarem dormentes. Imediatamente, eu soube que algo estava separado porque você não deveria ter fluxo sangüíneo e dormência nos dedos, a menos que isso seja uma lesão prejudicial. Então eu parei imediatamente, saí e literalmente deixei o treino sabendo que tinha lesionado meu ombro e fui direto para uma ressonância magnética", narrou Cruz, antes de revelar os detalhes clínicos da lesão.

"Meu subescapular está completamente estourado e meu supra-espinhal está 75% estourado. Então, pelo que entendi, eles têm que pegar o tendão e recolocá-lo com um parafuso de algum tipo no osso para reconectarem tudo. É basicamente uma lesão do ligamento cruzado anterior do ombro", comparou.

Dominick admitiu que, além da dor, a lesão sofrida fez com que ele se sentisse triste por não poder entrar no octógono mais famoso do planeta mais uma vez em sua carreira. No entanto, o peso-galo minimizou a situação ao afirmar que já superou contusões semelhantes anteriormente. De acordo com o americano, se machucar faz parte de sua trajetória no MMA e fará parte do seu legado dentro do esporte no futuro.

"Dito tudo isso, me sinto muito triste. Extrema tristeza, para ser honesto, machuca. Quero chorar. Mas ao mesmo tempo sei que essa é uma longa jornada pela qual já passei. Já passei por isso, por esse tipo de lesão. Podem me atacar de qualquer forma, mas nunca me derrotam, e nunca irão. Isso é parte da minha jornada e fará parte do meu legado. Quantas pessoas passam por problemas na vida e tem que superar? A vida não é diferente da luta, e é por isso que amo tanto lutar. Esporte é uma metáfora da vida. Quando você desiste no esporte, você desiste da vida. Eu não sou o maior peso-galo de todos os tempos, apesar das minhas lesões, sou o maior peso-galo de todos os tempos por causa das minhas lesões", concluiu o ex-campeão do Ultimate.

Cruz é de fato apontado por parte da imprensa e pelos fãs ao redor do mundo como o melhor peso-galo da história do esporte. Ao longo de sua trajetória como profissional, o ex-detentor do cinturão do UFC somou 22 vitórias e apenas duas derrotas - uma delas justamente em sua última aparição nos octógonos, em dezembro de 2016, contra Cody Garbrandt.

 

Esporte