PUBLICIDADE
Topo

Esporte

De La Hoya promete continuar no MMA e "competir com Dana White"

Ag. Fight

12/12/2018 11h28

O primeiro evento do Golden Boy MMA não foi exatamente um sucesso. Diante de uma estimativa modesta de pay-per-views vendidos e de uma repercussão inferior à esperada para a terceira luta entre Chuck Liddell e Tito Ortiz - vencida por este último, por nocaute -, não foram poucos os que apostaram no fim precoce do show comandado por Oscar De La Hoya. O empresário, entretanto, declarou que vai continuar investindo no negócio.

Em entrevista ao canal americano 'ESPN', De La Hoya demonstrou a intenção de realizar uma mudança de rumo. O ex-boxeador sinalizou que não pretende colocar em seu show atletas tão veteranos - Tito tem 43 anos e Chuck, 48 - e que a transmissão não será no sistema pay-per-view.

"Vou analisar os lutadores sem contrato por aí, porque não vou conseguir nenhum lutador que esteja sob contrato com o UFC. Quero ver quem está livre que me contate. E então, vou fazer um outro evento, mas vou fazer um grande evento. Vou fazer um evento no qual os lutadores não sejam da idade de Chuck Liddell e Tito Ortiz, mas vou fazer um evento incrível. E não vou fazer em pay-per-view. Vou fazer em uma plataforma que não vai te cobrar 80, 90 dólares . O pay-per-view acabou. É por isso que 'Canelo' Alvarez vai ganhar 365 milhões de dólares não lutando em pay-per-view", falou.

"Vou competir com Dana White. Exatamente da maneira com que comecei a Golden Boy Promotions, e hoje somos a maior força no boxe. Isso é exatamente o que eu vou fazer com o MMA", projetou.

A Golden Boy MMA não é a primeira investida do ex-pugilista no esporte. Em 2008, De La Hoya esteve entre os investidores do Affliction, evento que teve apenas duas edições e chegou a contar com lutadores como Fedor Emelianenko, Tim Sylvia, Josh Barnett, Pedro Rizzo, Vitor Belfort, Rogério 'Minotouro' e Andrei Arlovski.

Esporte