PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-sparring acusa McGregor de planejar "vingança" em polêmica por fotos

Ag. Fight

24/08/2017 08h00

Paulie Malignaggi é ex-campeão mundial de boxe – Diego Ribas

Ex-campeão mundial de boxe, Paulie Malignaggi voltou a estampar os noticiários dos esportes de combate no último mês após o convite feito pela equipe de Conor McGregor para ajudá-lo na preparação para superluta contra Floyd Mayweather. A parceria tinha tudo para dar certo, mas decisões polêmicas tomadas pela equipe do irlandês – como o vazamento de fotos das sessões de sparring – o motivaram a deixar o camp e travar uma verdadeira guerra de palavras com o campeão peso-leve (70 kg) do UFC. E agora, às vésperas do combate de seu rival contra ‘Money’, o norte-americano insinuou que tudo não passou de uma vingança premeditada por ‘The Notorious’ e seu time.

Em entrevista exclusiva à Ag. Fight, Malignaggi relembrou que já viveu momentos conturbados com o irlandês no passado, mas ressaltou o fato de que isso é comum no mundo das lutas. Justamente por isso, assim que recebeu o convite para se juntar ao time do atleta do UFC, ele teve a certeza de que os problemas de outrora se tratavam de águas passadas. Mas para a infelicidade do norte-americano, ao menos de acordo com seu discurso, sua conclusão estava equivocada.

“Acho que foi planejado. Depois que deixei o camp e analisei , percebi que tudo foi planejado desde o começo. Falei algumas besteiras sobre o Conor há uns seis meses, porque queria a luta, mas isso é comum entre pugilistas para conseguirem as lutas, assim como ele também falou algumas besteiras sobre mim. Então, quando ele me ligou eu pensei: ‘Conor já falou algumas besteiras sobre mim, mas como não lutamos está beleza’, porque ele queria minha ajuda no camp e eu já havia passado por isso antes. Aí decidi que iria no camp e ficaria tudo certo”, relatou.

“Me arrependo um pouco . Ele não conseguiu o que queria de mim do jeito correto e começou a inventar histórias. Ele queria muito me deixar desconcertado, mas aquelas poucas fotos não funcionaram. Assim que publicaram as fotos, os repórteres me ligaram e começaram a me fazer perguntas, porque sou Paulie Malignaggi, e é isso que aconteceria. Começaram a me fazer perguntas se ele sabia dar socos, e eu respondi que sim, que ele sabia dar socos, mas não com muita força”.

Apesar da surpresa com a suposta falta de profissionalismo de McGregor e sua equipe, o norte-americano se mantém confiante quanto ao fato de que sua imagem não saiu abalada do episódio. Em resposta ao vazamento das fotos, Malignaggi resolveu dar o troco e vazar alguns detalhes referentes às sessões de treinamento que teve com o irlandês. E sem qualquer cerimônia, o ex-campeão de boxe garantiu que ‘The Notorious’ bate mais fraco do que qualquer pugilista feminina de alto nível.

“Para um pugilista ele não tem muita força nos socos, ele é razoável. Não é como o Golovkin e o Canelo, ele é razoável, e isso o deixou irritado. Eu estava pesado. Se mesmo pesado consigo fazer doze rounds com você que está no meio do camp, aí você tem um problema. Eu não conseguiria fazer doze rounds com uma garota se não estivesse em forma. Uma pugilista daria conta de não me deixar terminar os doze rounds. Mesmo assim ainda venci a maioria dos rounds. Acho que ele não conseguiu engolir isso e ficou com raiva. Eu não estava com raiva, e só comecei a me incomodar quando percebi que eles estavam fazendo as coisas de propósito”, concluiu.

E como não podia deixar escapar a oportunidade, Malignaggi também fez uma previsão de como acredita que o combate entre Conor McGregor e Floyd Mayweather, agendado para o próximo sábado (26) no ginásio T-Mobile Arena em Las Vegas (EUA), se desenrolará. Para explicar seu ponto de vista, o americano analisou fatores que ficaram claros após os treinos com o irlandês e, se depender de sua opinião, o campeão dos leves do UFC será facilmente superado.

“Acho que o Conor jogará sujo no começo, será confuso. Nas artes marciais mistas, quando se chega perto você agarra, e ele não sabia fazer na curta distância do boxe quando treinamos. Ele agarrá e perderá pontos na curta distância, e na longa distância o Floyd é bom demais. Ou seja, o que ele poderá fazer? Ele tentará agarrar e alguns até pensarão que aquilo é legal, mas o árbitro tirará pontos e o fará parar. Depois de alguns rounds ele descobrirá que está morto. Ele procurará uma forma de sair dali, assim como fez com o Nate Diaz a partir do segundo round”, finalizou.

Esporte