PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Argentina encara Grupo D da Copa do Mundo sem garantias

29/05/2018 12h50

Moscou, 29 Mai 2018 (AFP) - Quatro anos depois de chegar perto de conquistar a taça mais cobiçada do futebol, Lionel Messi estará na Rússia, onde disputará o que provavelmente será sua última Copa do Mundo com a Argentina, favorita do Grupo D.

Uma campanha turbulenta nas eliminatórias sul-americanas foi resgatada por Messi, autor de três gols na partida decisiva contra o Equador, mas o atacante do Barcelona e seus companheiros não têm margem de erro num exigente grupo que conta também com Croácia, Nigéria e Islândia.

Apesar de reunir uma grande quantidade de talentos individuais no ataque, somente a fraca Bolívia anotou menos gols do que a Argentina nas eliminatórias, e citar uma dependência em Messi não é um exagero.

Os comandados do técnico Jorge Sampaoli venceram apenas uma das oito partidas nas eliminatórias que disputaram sem Messi. Também foram goleados por Nigéria (4-2) e Espanha (6-1) nos amistosos de preparação para a Copa sem o cinco vezes melhor jogador do mundo.

Luka Modric e Ivan Rakitic lideram uma equipe croata que terminou na segunda colocação de seu grupo nas eliminatórias europeias, justamente atrás da Islândia - com uma vitória para cada lado -, antes de dominar a Grécia na repescagem e garantir a vaga para disputar sua quinta Copa do Mundo.

Mario Mandzukic, atacante da Juventus, é o principal artilheiro dos croatas e terá papel-chave para que sua seleção avance ao mata-mata da Copa pela primeira vez desde que terminou no terceiro lugar na Copa do Mundo de 1998.

Depois de decepcionantes atuações nas últimas Copas, a jovem equipe da Nigéria, revitalizada pelo técnico Gernot Rohr e apostando no trio da Premier League formado por Alex Iwobi, Kelechi Iheanacho e Wilfred Ndidi, certificou sua passagem para a Rússia com uma partida de antecedência nas eliminatórias africanas.

Após conquistar o coração dos fãs de futebol na Eurocopa-2016, a Islândia mostrou que sua inesperada presença nas quartas de final da competição continental não foi uma casualidade, terminando na primeira posição de seu grupo nas eliminatórias, superando equipes de maior tradição como Croácia, Ucrânia e Turquia para se tornar a menor nação da história a disputar uma Copa do Mundo.

Esporte