PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

GP da Arábia Saudita recomeça após duas bandeiras vermelhas e confusão

Mick Schumacher (Haas) teve carro parcialmente destruído com a batida na volta 10 do GP da Arábia Saudita - Reprodução/Twitter
Mick Schumacher (Haas) teve carro parcialmente destruído com a batida na volta 10 do GP da Arábia Saudita Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

05/12/2021 14h56Atualizada em 05/12/2021 15h48

Dois graves acidentes marcaram o início do GP da Arábia Saudita de Fórmula 1, realizado na tarde de hoje. Em ambos, a bandeira vermelha foi ativada e a prova foi suspensa - após duas paralisações que, somadas, levaram quase uma hora, os pilotos retomaram a corrida.

Primeiro, na volta dez, Mick Schumacher (Haas) derrapou e bateu a traseira de seu carro no muro do circuito de Jeddah.

A colisão ativou a bandeira amarela por alguns minutos. Como as barreiras de proteção foram destruídas no impacto, os comissários precisaram anunciar a bandeira vermelha para reparos.

Momentos depois da batida, o filho de Michael Schumacher tranquilizou a equipe via rádio. "Eu estou bem. Me desculpem por isso", falou o alemão, que estreou este ano na categoria.

A corrida ficou suspensa por cerca de 30 minutos. Max Verstappen (Red Bull), que havia iniciado a prova em 3° e não parou assim que o safety car foi ativado, teve o direito de recomeçar a prova na 1ª posição.

Isso porque que Lewis Hamilton (Mercedes) e Valtteri Bottas (Mercedes), que estavam nas primeiras colocações da disputa, foram ao pit stop logo após o acidente e perderam a posição para o holandês.

Relargada maluca

A corrida foi retomada cerca de trinta minutos depois do acidente, mas novos acidentes suspenderam a prova.

Sergio Pérez (Red Bull) teve seu carro tocado na traseira e rodou no meio da pista. O ato gerou uma nova batida, desta vez de Nikita Mazepin (Haas), que acertou em cheio uma Alpine.

George Russell (Williams) também bateu e precisou abandonar a prova, que ficou paralisada por mais 25 minutos.

Fórmula 1