PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seixas: "Vale a pena Red Bull ligar alerta. Mercedes pode ter dado virada"

Do UOL, em São Paulo

11/10/2021 04h00

Dois pilotos no pódio e Max Verstappen de volta à liderança do Mundial de Pilotos. A Red Bull teria motivos para comemorar seus resultados no GP da Turquia, mas um olhar mais atento mostra que a situação da escuderia não está tão tranquila assim. Embora Lewis Hamilton tenha terminado em quinto, a vitória tranquila de Valtteri Bottas no circuito de Istanbul Park demonstra que a Mercedes está em plenas condições para a reta final da temporada.

No Fim de Papo F1, live pós-corrida do UOL Esporte - com os jornalistas Fábio Seixas e Flavio Gomes - os comentaristas analisaram o cenário para as últimas seis corridas da temporada. Para eles, o que se viu na Turquia serve como um alerta para a Red Bull: a Mercedes vem com tudo.

"Há um ponto importante para as próximas provas. No pré-corrida, o Verstappen falou sobre o ritmo da Red Bull e estava preocupado. O Bottas teve o controle da corrida o tempo inteiro. Em nenhum momento o Verstappen ameaçou a vitória dele. O Bottas largou bem e achei que o Verstappen não quis fazer nenhuma gracinha. Tinha muito a perder e foi cauteloso na largada. A partir da primeira curva, o Bottas sumiu na frente. Juntando isso e o discurso do Verstappen antes da corrida, talvez valha a pena ligar o sinal de alerta na Red Bull porque a Mercedes pode ter dado essa virada", opinou Seixas.

Hamilton fez o melhor tempo no treino de classificação, mas largou em 11º - ele foi punido com a perda de dez posições no grid ao trocar parte dos componentes do motor. Dado o desempenho de Bottas na corrida, seria esperado que o britânico também tivesse uma prova tranquila caso largasse na pole position. Foi um erro, então, trocar agora? Para Seixas, não.

"Faltam seis corridas para o final da temporada. Agora são seis pontos de diferença, mas o Hamilton tem um motor novo e não trocou a unidade de potência inteira. Foi o motor a combustão, um dos componentes que mais sofrem desgaste. Ele tinha que fazer isso em algum momento. Melhor agora do que em um momento mais agudo, quando terá menos margem de manobra", analisou o colunista.

Seixas reforçou que a escuderia austríaca pode perder terreno nesta reta final da temporada. "O Bottas venceu com 14s5 de vantagem para o Verstappen. Mas emblemático do que isso: nas voltas finais, a Mercedes pediu para ele fazer a volta mais rápida. Ele foi lá e fez. Estava com o controle total da corrida e é o Bottas. Não é o Hamilton, nem nenhum gênio. Para mim, vale a Red Bull acender o sinal de alerta porque talvez já não tenha o carro mais veloz da Fórmula 1", enfatizou.

Para o colunista, a definição do campeão desta temporada deve ficar mesmo para os instantes finais. "Já está bem claro que o campeonato ficará aberto até o final. Tivemos três viradas nas últimas quatro corridas. Para mim, é fundamental entender, e isso tem a ver com a questão da troca de motor, que México e Interlagos são pistas na altitude e isso sacrifica mais o motor. Até por isso houve a correria das equipes para trocar componentes. Já vimos a Red Bull em um momento melhor no campeonato, com um carro muito mais rápido do que o da Mercedes. Hoje, aparentemente, a Mercedes está com um carro mais rápido. O fundamental é que ninguém pode se dar ao luxo de não marcar pontos. Hamilton e Verstappen estão em um jogo de marcação e acho que veremos isso até o final do campeonato", finalizou Seixas.

Não perca! A próxima edição do Fim de Papo F1 será em 24 de outubro, após o GP dos Estados Unidos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fórmula 1