PUBLICIDADE
Topo

Eliminatórias Sul-Americanas

Estreia de Neymar marcou última vez da seleção brasileira sem TV aberta

Neymar e Ganso em estreia da seleção brasileira em 2010: jogo não passou na TV aberta - Getty Images
Neymar e Ganso em estreia da seleção brasileira em 2010: jogo não passou na TV aberta Imagem: Getty Images

Gabriel Vaquer

Do UOL, em Aracaju

17/11/2020 14h59

Pela primeira vez em mais de dez anos, um jogo da seleção brasileira de futebol masculina não será exibida em TV aberta. Isto é tão raro desde o advento da TV como veículo de massa, que neste século, só aconteceu duas vezes: em 2001 e em 2010.

Esta última vez da seleção brasileira teve como destaque a estreia de Neymar no Brasil, com o início da "era Mano Menezes" na seleção. Galvão Bueno até participou da transmissão, mas ela não passou nem no Sportv, por exemplo.

O jogo em questão foi Brasil x Estados Unidos, em 10 de agosto de 2010. Foi a primeira partida da seleção brasileira após a eliminação na Copa do Mundo da África do Sul, por 2 a 1, contra a Holanda.

Depois de tentar a contratação de Muricy Ramalho, que decidiu não aceitar após não ser liberado pelo Fluminense, o seu time na época, a CBF foi atrás de Mano Menezes, que fazia um trabalho elogiado desde 2008 no Corinthians e já tinha ido bem no Grêmio anteriormente.

A proposta era fazer um estilo de jogo diferente do que Dunga fazia. Em vez de algo mais físico e uma relação de pouca alegria com a torcida, Mano Menezes deveria jogar bonito e para frente. E, na época, só tinha uma opção para isso começar a dar certo. Diferentemente de Dunga, levar Neymar e Ganso, ambos muito bem em um Santos que havia sido recém-campeão da Copa do Brasil e tinha encantado todo o país no primeiro semestre de 2010.

E, de fato, logo na primeira convocação, Neymar e Ganso foram chamados. Além deles, Alexandre Pato, Marcelo, Thiago Silva, entre outros jogadores, ganharam espaço. A ordem era rejuvenescer a equipe, pensando já em 2014, quando a Copa do Mundo seria no nosso país.

A partida em questão aconteceu numa terça-feira, dia 10 de agosto de 2010, contra a seleção americana, em Nova Jersey (EUA). A partida terminou em 2 a 0, com direito ao primeiro gol de Neymar com a camisa amarela. Mas, por causa do fuso horário, o jogo acabou marcado para 21h (horário de Brasília). E aí, começa o impasse.

Por causa do horário, ficou um suspense grande para saber se a Globo iria exibir ou não a partida. A decisão ocorreu dias antes: a emissora iria manter sua programação normal, com o "Jornal Nacional" e a novela das oito naquele momento. O motivo era, principalmente, a boa audiência da novela "Passione", a atração da época no principal horário da televisão brasileira.

Escrita por Silvio de Abreu, "Passione" começava a cair no gosto popular naquele momento e a Globo não queria perder o viés de alta. Além disso, questões comerciais também pesaram. Por isso, a Globo decidiu mostrar aquela partida apenas no Sportv, seu canal esportivo.

Mas o curioso é que, com a decisão, a equipe completa titular de jogos da seleção foi escalada na época, com direito a comando de Galvão Bueno, Mas essa narração não passou no canal esportivo.

Galvão Bueno foi escalado porque o jogo passou em VT compactado mais tarde na programação da emissora, sem ser ao vivo, além de exibição para o mercado exterior, pela Globo Internacional.

Desta vez, em 2020, é diferente: a Globo tentou acordo com os donos dos direitos das partidas das eliminatórias da Copa fora de casa, mas não conseguiu fechar contrato.

Com isso, a Mediapro, que vende as partidas, fechou com o EI Plus, streaming esportivo da Turner, disponível para assinantes do UOL Esporte Clube, e com a Band, em um consórcio com Sky e Claro para criar um pay-per-view na TV por assinatura.