PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ginasta campeã olímpica revela ter sido abusada a partir dos 13 anos

McKayla Maroney foi prata e ouro nos Jogos de Londres-2012 - AFP PHOTO / THOMAS COEX
McKayla Maroney foi prata e ouro nos Jogos de Londres-2012 Imagem: AFP PHOTO / THOMAS COEX

Do UOL, em São Paulo

18/10/2017 11h03

A ex-ginasta americana McKayla Maroney, dona de uma medalha de ouro e outra de prata dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, se juntou às milhares de mulheres que revelaram nos últimos dias terem sido vítimas de abusos sexuais, compartilhando suas histórias com a hashtag “MeToo”. Pelo Twitter, Maroney contou que foi molestada pelo médico Larry Nassar, que cuidava da seleção de ginástica dos Estados Unidos e confessou neste ano ter cometido pedofilia.

Aposentada do esporte desde 2016, ela declarou que os abusos cometidos por Nassar tiveram início quando ela tinha apenas 13 anos. “E não parou até eu deixar o esporte. Parecia que a qualquer momento e lugar que esse homem encontrava a chance, eu era ‘tratada’. Aconteceu em Londres antes de eu e meu time conquistarmos o ouro e aconteceu antes eu vencer minha prata”, lembrou.

“A noite mais assustadora da minha vida aconteceu quando eu tinha 15 anos. Eu tinha viajado dia e noite com o time para chegar a Tóquio. Ele me deu um remédio para dormir durante o voo, e a próxima coisa que eu lembro, eu estava sozinha com ele no quarto de hotel dele recebendo ‘tratamento’. Eu achei que ia morrer naquela noite”, relatou.

Maroney afirmou que foi inspirada a contar sua história pelos relatos de outras mulheres nos últimos dias. A campanha do “MeToo” iniciada nas redes sociais foi motivada pelas dezenas de casos de assédio envolvendo o produtor Harvey Weinstein, nome forte em Hollywood.

Junto a seu relato, a ex-ginasta fez um apelo a outras vítimas de crimes semelhantes: falar do que aconteceu e mostrar que abusos que estão ocorrendo.; que os autores de ações tipo sejam responsabilizados; educação e prevenção; e tolerância zero a abusadores e aqueles que os protegem. “Nosso silêncio deu poder às pessoas erradas por muito tempo e é a hora de retomarmos nosso poder. Lembrem, nunca é tarde para falar”, concluiu.

A ex-ginasta tem 21 anos e iniciou uma carreira musical após deixar o esporte.

Esporte