PUBLICIDADE
Topo

Jade Barbosa conta o dia que Daiane dos Santos a beliscou para não chorar

Jade Barbosa no Mundial de 2007. No Pan daquele mesmo ano, foi questionada sobre choro - Thomas Niedermueller/Bongarts/Getty Images
Jade Barbosa no Mundial de 2007. No Pan daquele mesmo ano, foi questionada sobre choro Imagem: Thomas Niedermueller/Bongarts/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

04/05/2020 15h21

Líder da seleção feminina de ginástica artística atualmente, Jade Barbosa foi uma novata quando o esporte tinha ninguém menos que Daiane dos Santos e Daniele Hypólito. As duas foram determinantes para o crescimento da ginasta, que relembra ao UOL o Pan de 2007, quando Daiane a beliscou para que não chorasse durante uma coletiva de imprensa.

Jade ficou próxima ao ouro do individual geral da competição e uma falha a tirou do lugar mais alto do pódio. Fora da apresentação, chorou e foi fotografada com as lágrimas escorrendo pelo rosto. Um jornalista questionou a menina de 16 anos sobre o choro relacionando a atitude à morte da mãe da ginasta e foi aí que Daiane entrou em cena.

"Um dos repórteres perguntou: 'Quando você caiu, você pensou: mãe, me ajuda?'. Eu tinha perdido minha mãe por aneurisma e as pessoas usavam isso. E eu lembro da Dai me beliscando e falando: 'Cão chora, Jade, não chora'. Eu respondi: 'Não, faço ginástica por mim'. Situações assim vão acontecer, importante é você ter pessoas e a certeza do que você é. Base familiar é muito importante, amigos. Eu tive isso. Eu estou bem", disse.

"Eu não sabia como ia ser... Ainda mais em um Pan-Americano dentro de casa. No dia seguinte, as pessoas me paravam e pediam autógrafo. Não foi muito fácil, mas fiz terapia. Nós éramos unidas, nosso objetivo era boa colocação no Mundial, medalha olímpica. Quando seu objetivo está claro, você trabalha para aquilo", ressaltou.

Esporte