PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Espanhol vence preconceito no nado: 'perguntavam se eu era uma aberração'

Do UOL, em São Paulo

29/07/2015 06h00

Foram 12 anos de dedicação, mas sem poder competir oficialmente. Também foram 12 anos de muito preconceito e perguntas ofensivas. Mas nesta semana o espanhol Pau Ribes finalmente pôde realizar seu sonho: disputar o Mundial de Esportes Aquáticos no nado sincronizado, graças à inclusão do dueto misto, algo inédito.

Apaixonado pelo nado sincronizado, Pau Ribes vive o esporte desde a infância. Como trata-se de uma atividade praticada principalmente por mulheres, diferentes obstáculos surgiram. “Sempre me diziam que era um esporte de meninas e me perguntavam se eu era homossexual ou uma aberração. Algumas pessoas davam risada, mas passei por cima de tudo isso”, contou Ribes.

“Tive que ser muito forte, ter a cabeça no lugar e estar muito seguro para viver tudo isso”, emendou. Os pais sempre estiveram ao lado do garoto que, aos sete anos, viu jogadores de pólo aquático fazerem uma apresentação básica. Naquele dia, o pai de Ribes prometeu que pesquisaria onde o filho poderia praticar nado sincronizado. O problema era competir.

Ribes participava de torneios femininos, mas sempre era difícil se inscrever. “Os organizadores me deixavam competir, mas sempre tive que correr atrás de muitas autorizações”. Virou técnico de garotas para ficar o mais próximo possível do nado sincronizado.

Na última terça, ao estrear no Mundial de Esportes Aquáticos em Kazan, na Rússia, Ribes realizou dois sonhos em um. Além de poder competir oficialmente e avançar à final na quinta posição, fez dupla com Gemma Mengual, famosa atleta do nado sincronizado que disputou três Olimpíadas e tem duas medalhas de prata.

Gemma se aposentou em 2012, mas a inclusão do dueto misto no Mundial e a trajetória de Pau Ribes a convenceram a voltar a competir. “Não pude acreditar quando ela disse que faria dupla comigo. Eu sempre a idolatrei. Agora sonho com o dia em que o dueto misto entre nas Olimpíadas e mais garotos comecem a praticar o nado sincronizado”, resumiu o espanhol.

Esporte