PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Será bem-vindo ao nosso vale", dizem ativistas LGBT sobre Diego Hypolito

Diego Hypolito pula o Carnaval paulista com a bandeira LGBT - Agripino Magalhães
Diego Hypolito pula o Carnaval paulista com a bandeira LGBT Imagem: Agripino Magalhães

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

09/05/2019 04h00

Ativistas e personalidades do mundo LGBT celebraram ontem (8) o relato inédito do ginasta Diego Hypolito, que pela primeira vez disse publicamente ser gay. "Ele será bem-vindo ao nosso vale", afirmou Agripino Magalhães, da Aliança LGBTI+, e que esteve ligado por anos à organização da Parada do Orgulho LGBT. O "vale" a que ele se refere seria o Vale dos Homossexuais, apelido usado carinhosamente pela comunidade LGBT a um lugar imaginário onde todos viveriam juntos, livres e felizes - o termo foi incorporado inicialmente como uma sátira após comentário pejorativo de uma pastora.

Na entrevista ao UOL Esporte, Diego manifestou o desejo de um dia participar da Parada Gay.

Agripino foi o cicerone de Diego no último Carnaval paulista, quando o ginasta de 32 anos frequentou blocos voltados ao público de sexualidade diversa, mesmo antes de sair oficialmente do armário. Em cima do bloco "Agrada Gregos", na zona oeste da cidade, o ativista se aproximou de Diego com uma bandeira do arco-íris.

"Ele nunca tinha tirado uma foto com a bandeira e percebi que ficou com receio", relata Agripino. "Falei que não tinha nada a ver, que ninguém paga as contas dele e que ele era um exemplo para todas as pessoas lá embaixo. Ele ficou mais relaxado e curtiu o dia inteiro." Só recentemente Diego passou a frequentar ambientes como festas gays sem medo de ser reconhecido.

Diego - Lucas Lima/UOL - Lucas Lima/UOL
Imagem: Lucas Lima/UOL

A reação nas redes sociais ao Minha História de Diego foi dividida entre mensagens de apoio e orgulho e piadas de pessoas que afirmaram não estar surpreendidas com a revelação.

O jornalista e apresentador Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, classificou a decisão de Diego de falar sobre sua sexualidade como um "ato político":

"O maior ato político de uma pessoa LGBT é ter a coragem de sair do armário. Não importa se as pessoas já desconfiavam", disse Fefito, que é gay e faz comentários na rádio Jovem Pan e na TV Gazeta. "Quando saímos do armário, não tiramos só nós, mas também nossa família e amigos, que passam a ser questionados e responder pela nossa sexualidade. A simples presença de um LGBT orgulhoso já move placas tectônicas ao seu redor."

Fefito - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Considerado por muitos gays, lésbicas e trangêneros como uma das faces públicas do movimento, mesmo que não seja filiado a nenhum coletivo ou organização, Fefito destacou o impacto que o texto de Diego Hypolito deve ter provocado na vida de atletas que sofrem com a homofobia em um meio conservador:

"O Diego cumpre um papel fundamental ao falar em primeira pessoa porque ele vai mudar a vida de muitos ginastas e de muitos outros atletas que ainda sofrem com isso. Eles vão perceber que a vida só melhora e não piora quando saem do armário."

O esgrimista Fabio Lemes gravou uma sequência de stories no Instagram se dizendo orgulhoso da coragem do ginasta de vir a público falar de homossexualidade. Primeiro atleta federado da esgrima a se revelar gay, Fabio é medalhista dos Gay Games.

"Ter representatividade ajuda a quebrar estigmas e paradigmas do esporte. Um atleta de elite e um nome enorme para a história do esporte brasileiro como ele ter saído do armário abre as portas para outros atletas. É bom que uma geração possa crescer tendo o Diego como um herói, alguém em quem eles possam se espelhar, e sabendo que ele é gay."

A artista trans Luisa Marilac, como muitos leitores, não se mostrou surpresa com a revelação de Diego: "São coisas que a gente já sabia né, amor, a gente do meio já sabia." Conhecida por dar visibilidade à letra T da sigla LGBT, Luisa elogiou a coragem do ginasta e se disse solidária a ele.

Luisa Marilac - Gabriel Cardoso/SBT - Gabriel Cardoso/SBT
Imagem: Gabriel Cardoso/SBT

"Muita gente tem medo de se assumir porque se acaba. Tem artista de cinema que se assumiu e hoje não consegue papel. O Diego ter se assumido é importante para todos nós, mas ele fez isso por ele. E temos que fazer essas coisas por nós mesmos e não por ninguém. Vivemos num mundo hipócrita, então uma pessoa pra ter coragem de vir a público sabendo dos riscos, eu tiro meu chapéu. E se ele precisar de alguma coisa, estamos juntos."

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informado anteriormente, ontem foi dia 8 de maio e não dia 9. O erro foi corrigido.

Esporte