PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Breno cobra torcida do São Paulo por mais incentivo no Morumbi

22/09/2015 12h35

O comportamento da torcida do São Paulo nos últimos jogos no Morumbi tem incomodado atletas e comissão técnica. Depois de Juan Carlos Osorio repreender as vaias e a falta de apoio durante o empate sem gols com a Chapecoense, foi a vez do zagueiro Breno cobrar mais atitude dos torcedores. E o beque espera que as arquibancadas estejam mais cheias e mais próximas do time já nesta quarta-feira, 22h, contra o Vasco da Gama, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

- Torcedor quer sempre a vitória, então temos que fazer por merecer. Independente de ser mata-mata ou jogo normal, é importante apoiar sempre. Na Europa as torcidas não deixam de apoiar, mesmo nas derrotas. O ideal seria que a nossa fizesse isso do primeiro ao último minuto. Lá na Alemanha, no Bayern de Munique, eles sempre apoiam. Quem erra o passe é aplaudido para tentar aumentar a auto-estima. Gostaria que amanhã (quarta) fizessem isso para serem nosso 12º jogador - receitou o camisa 33.

Contra a Chape, por exemplo, apenas 16.502 torcedores compareceram ao Morumbi e ficaram irritados com as raras oportunidades de gol criadas pelo São Paulo. Breno tentou explicar as razões para a atuação ruim e já avisou que as dificuldades devem ser ainda maiores contra o Vasco, que passa por boa fase na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

- A Chapecoense, por exemplo, veio retrancada e deixa difícil fazer uma finalização. Com o Vasco será um jogo muito difícil, mas nosso time está focado na Copa do Brasil. Temos que fazer um saldo bom e sem tomar gols, porque isso faz diferença na volta. Tem que tratar como final mesmo. O mau momento deles passou, chegam embalados por vitórias e não vão tirar o pé. Vão querer vencer e não podemos ser diferentes - alertou.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Breno:

Priorizar a Copa do Brasil

Todos os jogos que a gente entrar são importantes, só que a Copa do Brasil é um título que o clube não tem. Por isso queremos ganhar para seguir passando de fase. No Brasileirão também vamos seguir brigando para entrar no G4. Não temos esse título e no Brasileirão o título está longe, com a gente perdendo uma e ganhando outra e o Corinthians regular. Vamos brigar pelo G4 e lutar pela classificação começando com um saldo de gols, para ir mais tranquilo na volta (em São Januário). Vamos enfrentar o Vasco duas vezes e o Palmeiras brigando pelo G4. Não sei como o professor vai montar os times para estes jogos.

Osorio

O professor Osorio tem o sistema de trocar sempre os jogadores, é o modo dele e temos que nos encaixar nisso. Estamos tentando ao máximo. Ninguém entra para perder como tem gente que pensa. Sempre queremos ganhar, não tem corpo mole. Como eu sempre disse, ele é uma excelente pessoa e um excelente treinador, que traz uma estatégia europeia. O time está se adaptando aos poucos às mudanças e ao estilo de jogo que ele pede. Aos poucos, o time vai se encaixar. Agora são só três machucados, o time está inteiro. A escalação ainda não sabemos, mas sei que o time que entrar vai dar conta do recado.

Ano sem título e novas lideranças

Seria ruim. Passar o ano todo lutando e não conseguir nada no fim é péssimo. Temos essa chance na Copa do Brasil e vamos lutar por esse título até o último minuto. No papel temos um time muito forte, mas precisamos colocar isso dentro de campo. E vamos começar a fazer isso a partir do jogo de amanhã (quarta-feira). Aprendi muitas coisas na vida, até pela fase difícil na Alemanha. Não tenho mais 18 anos, tenho 25, e passo essa liderança. Tem Ceni, Michel Bastos e Luis Fabiano, mas posso também ser um desses líderes para ajudar ao clube e aos garotos da base que estão subindo

Esporte