PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sucesso no campo, parceria entre Galo e Horto chega ao fim sem dar lucro

Atlético-MG manteve parceria comercial com o Independência durante dez anos - Bruno Cantini/Atlético
Atlético-MG manteve parceria comercial com o Independência durante dez anos Imagem: Bruno Cantini/Atlético

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

29/01/2022 04h00

Classificação e Jogos

Entre 2012 e 2016 o bordão "caiu no Horto, tá morto" fez muito sucesso entre os torcedores do Atlético-MG. O clube mineiro era praticamente imbatível no Independência. O Galo ficou invicto no local por mais de um ano, de abril de 2012 até 31 de julho de 2013. Foi lá que a equipe liderada por Ronaldinho Gaúcho fez quase toda a vitoriosa campanha na Libertadores. A torcida se sentia em casa, o time se sentia à vontade e os adversários se sentiam incomodados. "É uma arapuca, com barulho fantástico. Você tem que atravessar no meio da torcida adversária, uma coisa maluca. Não se pode nem chamar de estádio. Aquilo foi uma emergência ao Mineirão. O Mineirão está pronto, mas não se joga lá".

A famosa reclamação é de Juvenal Juvêncio, então presidente do São Paulo, em maio de 2013. A explicação para o Atlético jogar no Independência ao invés do Mineirão, três vezes maior, era comercial. O Galo tem contrato com a BWA/LuArenas, a empresa que venceu a licitação para administrar o estádio. Clube e BWA têm Sociedade em Conta de Participação - dividem lucro ou prejuízos da operação do estádio.

Em dois anos de Atlético-MG, Ronaldinho jamais foi derrotado no Independência - Pedro Vilela / Agencia i7 - Pedro Vilela / Agencia i7
Em dois anos de Atlético-MG, Ronaldinho jamais foi derrotado no Independência
Imagem: Pedro Vilela / Agencia i7

Mas no caso do Independência, em quase dez anos de parceira, jamais o Atlético teve lucro. O contrato chega ao fim no próximo mês e não será renovado, afinal de contas o Galo voltou para o Mineirão em 2020 e no ano que vem vai inaugurar a Arena MRV. O sucesso do time em campo não refletiu nas finanças do estádio, que não recebeu eventos suficientes para gerar lucro.

Localizado no Horto, bairro residencial na região Leste de Belo Horizonte, próximo ao centro da cidade, o Independência ficou bom para jogos de pequeno porte, mas ruim para receber grandes shows. Tanto que em quase dez anos de operação foram apenas dois festivais de música e alguns outros eventos, sempre algo esporádico, sem uma regularidade para garantir receita contínua aos sócios Atlético e BWA/LuArenas.

Inclusive, com a saída do Atlético, é muito provável que a BWA devolva o equipamento ao governo de Minas Gerais, que entre 2010 e 2012 gastou R$ 150 milhões para reconstruir o estádio, que serviu como local de treinos durante a Copa do Mundo de 2014. O local está arrendado pelo América-MG ao Estado até 2029, para que se recupere o valor investido na reconstrução.

O Atlético será novamente mandante no Independência, depois de 709 dias. Como o Mineirão está cedido para a seleção brasileira, que na terça-feira receberá o Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, o Galo optou pelo Horto. Será seu último jogo no local sob o contrato assinado pela gestão do então presidente Alexandre Kalil, o atual prefeito de Belo Horizonte, em fevereiro de 2012.

Desde abril de 2012, quando o estádio foi reaberto, o Atlético disputou 229 partidas como mandante no Independência. O Aproveitamento é de 73% dos pontos disputados, com 152 vitórias, 46 empates e apenas 31 derrotas. Foram 446 gols marcados e 193 sofridos, o que dá um saldo positivo de 253 gols.

Neste sábado, o Atlético recebe o Tombense, no 230º jogo como mandante no Horto. A bola rola às 16h30.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG x TOMBENSE

Motivo: 2ª rodada do Campeonato Mineiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 29 de janeiro de 2022, às 16h30 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz Skettino Policarpo Bento
Auxiliares: Celso Luiz da Silva e Leonardo Henrique Pereira
VAR: não tem

ATLÉTICO-MG: Everson, Mariano, Igor Rabello, Nathan Silva e Arana; Guilherme Castilho, Zaracho e Nacho; Ademir, Hulk e Fábio Gomes. Técnico: Turco Mohamed.

TOMBENSE: Rafael Santos, David, Moises Lucas, Roger Carvalho e Manoel; Rodrigo, Jean Lucas e Alison; Ciel, Everton e Daniel Amorim. Técnico: Rafael Gauanaes.

Futebol