PUBLICIDADE
Topo

Francês - 2021/2022

Sem Neymar, PSG fica preso na marcação e não sai do empate contra o Nice

Messi até deu bons passes, mas não conseguiu ser decisivo no tropeço do PSG; Dante foi bem pelo Nice - REUTERS/Gonzalo Fuentes
Messi até deu bons passes, mas não conseguiu ser decisivo no tropeço do PSG; Dante foi bem pelo Nice Imagem: REUTERS/Gonzalo Fuentes

Do UOL, em São Paulo

01/12/2021 18h56

Classificação e Jogos

O Paris Saint-Germain sentiu muito a falta de Neymar hoje (1º), ao receber o Nice no Parque dos Príncipes. Di María e Mbappé perderam gols, Messi não apareceu tanto, o PSG como um todo ficou preso na marcação e apesar da insistência não conseguiu sair do 0 a 0.

Este empate é apenas o terceiro tropeço do PSG em 16 rodadas desta Ligue 1. A equipe chega a 41 pontos e já tem 12 de vantagem para o vice-líder Olympique de Marselha. O time volta a jogar no sábado (4), quando visita o Lens novamente pelo Francês —ainda sem Neymar. Já o Nice ocupa o quarto lugar com 27 pontos.

Lesionado no último domingo (28), Neymar deve ficar de seis a oito semanas no departamento médico, período em que o PSG vai jogar até oito partidas. Ele teve uma entorse no tornozelo esquerdo com lesão ligamentar, mas deve voltar a estar à disposição antes das oitavas de final da Liga dos Campeões —que ainda serão sorteadas pela Uefa.

Como foi o jogo

Mbappé tenta lance durante partida entre PSG e Nice no Campeonato Francês 2021-22 - REUTERS/Gonzalo Fuentes - REUTERS/Gonzalo Fuentes
Sozinho, Mbappé perdeu no segundo tempo uma chance que não costuma perder
Imagem: REUTERS/Gonzalo Fuentes

Na ausência de Neymar, Pochettino adiantou Di María para o trio de ataque e incluiu o jovem Ebimbe no meio-campo. Foram dele as duas primeiras finalizações do PSG, mas um chute subiu demais e o outro foi desviado. Desde o começo o time da casa teve a bola a seu dispor (chegou a ter 77% de posse), mas o Nice assustava em contra-ataques: Donnarumma fez boa defesa em chute cruzado; depois Kimpembe precisou se esticar todo para afastar uma enfiada de bola nas costas da zaga.

Mbappé obrigou o goleiro Walter Benítez a trabalhar aos 26, mas a melhor defesa do primeiro tempo foi de Donnarumma, que evitou um gol de cabeça após Delort aparecer completamente sozinho na área do PSG. Hakimi ainda tentou abrir o placar depois de uma boa triangulação no lado oposto, mas o placar seguiu zerado até o intervalo.

O segundo tempo teve chances mais claras de gol. O PSG parecia voltar determinado a marcar e só não saiu na frente logo de cara porque Di María desperdiçou uma chance incrível, sozinho e de frente para o goleiro. A oportunidade poderia custar caro, afinal o Nice se defendia bem com duas linhas: cercava Messi, dobrava a marcação em Mbappé e apostava na velocidade.

A dedicação tática do Nice quase rendeu um gol aos 15, mas o grandalhão Dolberg perdeu um lance incrível dentro da pequena área —um gol que qualquer centroavante como ele deveria fazer. Mbappé devolveu o "presente" alguns minutos depois, porque recebeu passe preciso de Messi dentro da área e também perdeu um gol praticamente feito.

A dinâmica do jogo se manteve na reta final: PSG com a bola, em cima, mas dando espaço para o Nice contra-atacar. Pochettino lançou Verratti e Icardi na partida, pois a esta altura o problema já não era tanto conseguir criar, mas, sim, conseguir transformar as chances em gol. Aos 34 Marquinhos quase alcançou um cruzamento na área; aos 41 Messi bateu para fora da entrada da área. A bola parecia não querer entrar, e de fato não entrou em uma grande atuação da zaga do Nice, inclusive do zagueiro Dante.