PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fifa rechaça Superliga e diz que modelo da competição é 'fechado'

Fifa condena modelo escolhido para criação da Superliga Europeia e se coloca a disposição para coordenar diálogo - Arnd Wiegmann/Reuters
Fifa condena modelo escolhido para criação da Superliga Europeia e se coloca a disposição para coordenar diálogo Imagem: Arnd Wiegmann/Reuters

Do UOL, em São Paulo

19/04/2021 08h55Atualizada em 19/04/2021 10h41

A Fifa se pronunciou hoje sobre a criação da Superliga Europeia e disse que o modelo adotado pelos clubes fundadores é fechado e não promove a redistribuição de renda entre clubes menores.

"Qualquer competição de futebol, seja nacional, regional ou global, deve sempre refletir os princípios fundamentais da solidariedade, inclusão, integridade e redistribuição financeira equitativa. Nesse contexto, a FIFA só pode expressar sua desaprovação a uma "liga europeia fechada" fora das estruturas internacionais do futebol e não respeitando os princípios acima mencionados", informou a instituição, em nota.

"A FIFA sempre defendeu a unidade no futebol mundial e convoca todas as partes envolvidas na discussão para um diálogo calmo, construtivo e equilibrado para o bem do jogo e do espírito de solidariedade e fair play. A FIFA, é claro, fará o que for necessário para contribuir para um caminho harmonizado nos interesses globais do futebol", continuou.

Uefa fala em banimento

A Uefa (Confederação europeia de futebol) também condenou a criação da Superliga e disse que os clubes envolvidos podem sofrer desde sanções a até banimentos das principais competições da Europa.

"Se isso acontecer, queremos reiterar que nós - UEFA, a Federação Inglesa, a Federação Espanhola, a Federação Italiana, O Campeonato Inglês, o Campeonato Espanhol, o Campeonato Italiano, mas também a FIFA e todas as nossas associações de membros - continuaremos unidos em nossos esforços para parar este projeto cínico, que se baseia no interesse próprio de alguns clubes em um momento em que a sociedade precisa de solidariedade mais do que nunca", escreveu a instituição.

Como anunciado anteriormente pela FIFA e pelas seis Confederações, os clubes em questão serão proibidos de jogar em qualquer outra competição em nível nacional, europeu ou mundial, e seus jogadores poderão ser negados a oportunidade de representar suas seleções nacionais.

O projeto de criação da Superliga Europeia de futebol, um torneio privado com 12 grandes clubes do continente e destinado a concorrer com a Liga dos Campeões, lançado hoje por Juventus, Real Madrid, Barcelona, Liverpool, Manchester United, City, Arsenal, Chelsea, entre outras grandes equipes, foi rejeitado pelo PSG e o Bayern de Munique.

Esporte