PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras supera surto de covid com 4 vitórias e 5 "novos" titulares

Do UOL, em São Paulo

29/11/2020 04h00

O Palmeiras passou pelo pior surto de Covid-19 entre os times do Campeonato Brasileiro. No fim da semana passada, o time chegou ao pico de 19 atletas infectados. Com grande parte dos jogadores de volta ao time nesta semana, a sensação que fica é que a fase foi superada com sucesso. E que o elenco ganhou cinco novas alternativas, com desempenho digno do time titular, para o restante da temporada.

Tirando a derrota para o Goiás, em que o time de Abel Ferreira jogou com 21 desfalques, perdeu mais um jogador para lesão no início do primeiro tempo (Luiz Adriano) e teve um atleta expulso (Mayke) ainda na primeira etapa, o time jogou bem. Foram quatro vitórias nos últimos seis jogos e dez gols marcados.

Nesse período, o maior beneficiado foi o zagueiro Emerson Santos. O beque era a última opção do Palmeiras para a defesa com Vanderlei Luxemburgo —que tinha à disposição os titulares Gustavo Gomez e Felipe Melo e a dupla reserva Luan e Vitor Hugo. Com o interino Andrei Lopes, Vitor Hugo já tinha sido vendido e Melo voltou para o meio-campo. Sobravam Gomez e Luan. Quando o primeiro foi convocado para a seleção paraguaia e o segundo foi afastado com covid, Emerson voltou a entrar em campo (ao lado do garoto Renan). Não decepcionou e hoje parece ter tomado de Luan a vaga de titular.

Um fenômeno parecido aconteceu com Rony. Principal contratação da temporada, ele chegou a ser a quinta opção para o ataque, atrás na linha de utilização de Luiz Adriano, Wesley, Gabriel Verón e Willian —além das improvisações de meias nas vagas de atacantes de lado. Uma boa performance na Libertadores, contra o Bolívar, porém, o fez voltar a ser utilizado —principalmente após a lesão de Wesley. Mesmo tendo afastado, por covid, dos jogos contra Fluminense, Ceará (pela Copa do Brasil) e Goiás, foi um dos primeiros a voltar da doença. Fez uma grande partida contra o Delfin, no Equador, e brilhou contra o Athletico. Com três gols nos últimos dois jogos, dificilmente deixará o time titular nas próximas partidas.

Os outros dois titulares do Palmeiras não tem a vaga garantida como Rony e Emerson parecem ter assegurado, mas sua ascensão deve ser ainda mais comemorada pela torcida verde: Lucas Lima e Gustavo Scarpa. O primeiro, com convocações sucessivas para a seleção brasileira quando jogava no Santos, nunca conseguiu se acertar no Palmeiras. Até a chegada de Abel Ferreira. Com o português, torcedores já percebem uma intensidade inédita com o uniforme palmeirense. O fato dele ter sido um dos melhores em campo nas últimas três partidas do time (o duelo contra o Goiás não conta) não é por acaso.

Com Scarpa, as coisas são ainda mais surpreendentes. O jogador, com Abel Ferreira, se firmou como alternativa pela esquerda, seja como lateral esquerdo, quando o uruguaio Viña não pode jogar, seja como alternativa mais avançada —algo que ele, como Lucas Lima, ainda não tinha conseguido fazer com sucesso desde que desembarcou na Academia de Futebol.

O quinto titular que o Palmeiras ganhou foi Patrick de Paula. E esse, após um puxão de orelha do técnico português. Logo que assumiu, ele disse que o meio-campista, que chegou a ser pedido na seleção brasileira pela torcida palmeirense e alguns especialistas, precisava se dedicar mais aos treinamentos. Parece ter dado certo. Desde a bronca, Felipe Melo, o titular da posição, se machucou, Bruno Henrique e Ramires, alternativas para a vaga, deixaram o clube e Danilo foi afastado por covid.

O garoto entendeu o recado, voltou a jogar bem e mostrou uma postura bem diferente principalmente na partida contra o Goiás — em que, apesar da derrota e de ter sido diretamente envolvido no lance de gol rival —, em que foi o melhor palmeirense em campo. Ontem, ele foi premiado com um golaço no primeiro tempo e mostrou potencial para jogar também à frente dos dois volantes —Danilo e Zé Rafael trabalharam mais na contenção e Patrick foi mais acionado no campo de ataque.

Para o torcedor palmeirense, a boa notícia é que outros jogadores que estavam em ascensão na época do Cebolismo de Andrei Lopes seguem bem. É o caso de Viña, Zé Rafael e Gabriel Menino, fixado na lateral direita, mas que foi bem como meia-atacante pela direita contra o Delfin.

O próximo compromisso do Palmeiras será pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores, contra o mesmo Delfín. O time paulista tem a vantagem da vitória por 3 x 1 no Equador. E a sorte de, se Abel precisar, contar agora com mais do que 11 titulares.

Palmeiras