Topo

Cantor agredido relata medo e não falará mais "Palmeiras não tem Mundial"

Beatriz Cesarini

Do UOL, em São Paulo

11/11/2019 13h40

Um vídeo com o cantor Léuo Araújo sendo agredido após entoar o cântico "Palmeiras não tem mundial" viralizou no último fim de semana. A confusão aconteceu num bar, na região conhecida como Prainha, em Cuiabá, no Mato Grosso. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o artista disse sentir medo de acontecer algo parecido novamente e garantiu que a paródia sobre a equipe paulista está fora de seu repertório a partir de agora.

"Eu estou assustado. Fisicamente eu estou bem, mas psicologicamente a gente se abala, fica mais arisco e preocupado. Eu trabalho com muitas pessoas, para um grande público. Eu estou com receio agora", disse Léuo, que optou por não cantar mais esse tipo de música.

"Tive o azar de estar cantando e ser surpreendido com uma agressão. Peço desculpas justamente para evitar esse tipo de situação. Não canto mais [a música sobre o Palmeiras]. Eu prefiro não fazer mais essa brincadeira no palco", assegurou o cantor.

De acordo com Leuó, a música sobre o Palmeiras é uma paródia de uma canção de pagode que faz parte do seu repertório há três anos. O cantor ainda ressaltou que não teve a intenção de irritar as pessoas presentes no show de sábado e, que se tivesse sido contatado por um torcedor incomodado antes, teria cessado.

"Há uns três anos fazemos essa brincadeira e nunca aconteceu esse tipo de coisa, foi um caso isolado. Não quero que pensem que foi uma provocação. Foi uma coisa que estamos acostumados a fazer. Nunca teve uma conversa, ou alguém que tenha me chamado para falar que não queria que eu fizesse. A gente foi seguindo cantando normalmente. Se eu tivesse recebido um aviso, falando: 'Léuo, a torcida pede para você parar', eu ia respeitar numa boa, não sou de briga", destacou o cantor.

"Fui cantar a música, me referindo ao Palmeiras, nem vi que tinham torcedores. Eu faço sempre, não cantei, porque vi a torcida e quis provocar. Eu faço em todos os pagodes. A maioria das rodas de samba em Cuiabá faz esse tipo de brincadeira. Quando a gente não canta, o próprio público pede a versão da música com a frase em referência ao Palmeiras", acrescentou.

Imagens gravadas de dentro do bar mostram Léou Araújo repetindo em forma de canção a frase que contém tom provocativo para palmeirenses. Alguns segundos se passaram até um homem pular em direção ao palco e iniciar uma série de tentativas de socos contra o cantor.

"A gente se assustou, ficamos sem entender e foi tudo muito rápido. Fui surpreendido com cerveja jogada no palco e outro objeto em direção a mim. Ai na sequência ele veio na direção, só deu tempo de eu esticar o braço para tentar segurar ele e só fui dando uns passos para trás", relatou Léou.

Palmeiras