Topo

Elias endossa diretor do Atlético-MG sobre renovação: "Faltam detalhes"

Elias, volante do Atlético-MG, fala sobre possível renovação contratual - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Elias, volante do Atlético-MG, fala sobre possível renovação contratual Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/07/2019 15h40

Elias endossa o discurso de Rui Costa, diretor de futebol do Atlético-MG, sobre as tratativas para renovação contratual. O volante de 34 anos explica que faltam detalhes para a prorrogação de seu vínculo, que se encerra em 20 de janeiro.

"Como o Rui falou, faltam detalhes. Não estou muito a par. Só quero assinar o contrato e jogar futebol. Meu agente, que é meu pai, vem conversando disso com o Rui diariamente. A gente espera que possa definir o mais rápido possível", comentou em entrevista às vésperas do jogo contra o Botafogo, marcado para amanhã, às 21h30 (de Brasília).

No último domingo (21), depois do empate por 2 a 2 com o Fortaleza, o diretor de futebol Rui Costa falou sobre a situação de Elias e explicou que faltam detalhes para a sua renovação.

"Mais importante é a vontade dele, a nossa vontade. Além da vontade precisamos ter questões econômicas, financeiras, que são importantes. Não tenho novidades. Posso dizer ao torcedor que estamos conversando. Ele já deixou claro a intenção de ficar no mínimo mais uma temporada conosco, nós também. Faltam alguns detalhes, que são importantes. Questão financeira, contrato, características. Vamos ver se a gente consegue definir até o final desta temporada", declarou.

Na Cidade do Galo desde fevereiro de 2017, o meio-campista goza de prestígio com diretoria e comissão técnica. Não à toa foi procurado para estender a permanência no clube e é titular absoluto do time comandado por Rodrigo Santana. No entanto, nem sempre teve o carinho da torcida. Pelo contrário. Ele já foi alvo de vaias do público atleticano.

Na mesma entrevista, ele falou como lidar com as manifestações negativas vindas das arquibancadas dos estádios e aconselhou os companheiros de elenco que sofrem com este tipo de problema na atualidade.

"Já passei por diversas situações na minha carreira. Falando aqui do Atlético, eu já fui vaiado quando estava jogando, mais de uma vez. Não consigo admitir isso, mas a torcida tem razão, tem que respeitar. O que fiz foi trabalhar, falar pouco, trabalhar. A gente trabalha bem, mas quando a fase está ruim, tem que trabalhar um pouco mais para superar as dificuldades que você vem tendo", concluiu o camisa 7 do Galo.

Atlético-MG